CHEGUEI

Tencent Cloud abre data center no Brasil

25/11/2021 13:05

Braço de computação em nuvem da gigante chinesa agora está em São Paulo.

Gigante chinesa está de olho no Brasil. Foto: flickr.com/photos/techcrunch.

Tamanho da fonte: -A+A

A Tencent Cloud, braço de computação na nuvem da gigante chinesa Tencent, acaba de abrir um data center em São Paulo.

Com a novidade, a empresa finalmente chega à América Latina, depois de criar uma rede global com 27 regiões e 68 zonas de disponibilidade. 

O novo DC é Tier 3, certificado PCI DSS e ISO 27001 e tem conexões de fibra ótica de rede redundantes para muitos hubs de troca de rede em São Paulo, que é mais ou menos o que se espera de uma estrutura de um player desse porte.

No mais, a nota da Tencent oferece ainda menos informações sobre o seu DC do que a média dos comunicados do tipo, que costumam ser misteriosos.

Assim, não se sabe exatamente qual é o tamanho, onde fica e quanto custou o DC, nem se ele é próprio ou de terceiros, ou se executivos brasileiros foram contratados para liderar o negócio (pode ser que não: a reportagem do Baguete não encontrou funcionários brasileiros da Tencent Cloud no Linkedin).

A Tencent também não abre quais são as suas metas para presença na América Latina, citando apenas as possibilidades para empresas da região interessadas em expandir operações na Ásia e também que seus produtos são aderentes “em particular” para empresas da área de mídia, jogos, redes sociais e fintechs. 

A informação mais concreta da nota sobre a presença da Tencent no país é o fato da Level Up!, uma grande empresa da área de games, ser cliente.

A Level Up! combina bem as duas características de clientes potenciais e também é uma empresa na qual a Tencent comprou uma participação de 49% em 2012,

Fundada em 2002 nas Filipinas, a empresa chegou no Brasil já em 2004, por meio de um acordo com a Tectoy, e já no ano seguinte começou a lançar jogos no país.

Hoje já são mais de 30 jogos no mercado brasileiro, incluindo grandes sucessos no nicho como Ragnarök Online e Grand Chase. De acordo com o Linkedin, a empresa tem 269 funcionários no Brasil (alguns talvez agora responsáveis pela operação Tencent Cloud?). 

Os jogos são online, reunindo milhares de jogadores simultâneos (o recorde é 22 mil, só no Brasil), o que torna a empresa um negócio intensivo em processamento de dados. 

“Essa nova infraestrutura permite que nós e outras instituições em uma ampla gama de setores de negócios capitalizemos os anos de experiência da Tencent Cloud no fornecimento de soluções de rede estáveis e resilientes”, afirma Glaucio Marques, CEO da Level Up!

Ao todo, a Tencent cita dados do IDC apontando que o mercado de infraestrutura como serviço em nuvem pública (IaaS) e plataforma como serviço (PaaS) deve chegar a US$ 3 bilhões em 2021 somente no Brasil,  um aumento de 46,5% na comparação ano a ano. 

É interessante por o tamanho do mercado brasileiro como um todo com a escala das operações da Tencent, dona do aplicativo de mensagens WeChat, o mais popular da China, com nada menos que um bilhão de usuários.

Dona de uma receita total de US$ 20,4 bilhões em 2020, uma alta de 26% frente ao ano anterior, a Tencent anunciou no ano passado que investiria US$ 70 bilhões em infraestrutura de TI até 2025.

É isso mesmo, US$ 70 bilhões, um pouco acima dos US$ 64 bilhões que o Gartner previa como o gasto total de TI do Brasil inteiro em 2020.

O dinheiro será usado para comprar um milhão de servidores para um novo data center com 51 hectares de área total. É outro superlativo: as vendas anuais de servidores costumam ficar ao redor de 12 milhões de unidades.

Além do data center, a Tencent prevê uma grande gama de investimentos em tecnologias como inteligência artificial, blockchain, IoT, 5G e computação quântica.

Assim como outros grandes players como a Amazon, a Tencent decidiu em 2013 criar uma operação de computação em nuvem, a Tencent Cloud.

Mas a empresa não chega a ser o sucesso da AWS, ou mesmo da operação cloud da Alibaba, outra gigante chinesa (o Alibaba Cloud, aliás, ensaiou uma chegada por parceiros no Brasil, recuou e sumiu do mapa).

No seu release de resultados de 2020, por exemplo, a Tencloud abre detalhes sobre seus negócios na área de games, fintech e anúncios digitais, mas faz o mesmo para a área de cloud, para a qual não chega a abrir nenhuma informação mais significativa.

Veja também

LISTRAS
Adidas roda S/4 na AWS

Gigante de moda parece não ter dado bola para ofertas da SAP.

TROMBONE
CIOs da UE fazem pressão contra Oracle e Microsoft

Entidades enviam carta para o parlamento europeu reclamando de práticas de licenciamento.

NUVEM
Cielo escolhe AWS

Gigante de nuvem fecha novo grande nome, depois de levar o Itaú.

APORTE DA CHINA
Tecent investe na Omie

Omie não revela quanto foi, mas só a grife do novo investidor já conta muito.

LICENCIAMENTO
Positivo vai fabricar e vender Infinix

Marca de smartphones da chinesa Transsion é concorrente direta da Xiaomi.

LEILÃO
Huawei: “segurança é uma questão técnica, não política”

Diretor de segurança da chinesa e membros do governo falaram sobre a polêmica do 5G.