Guilherme Fickel, Gustavo Führ e Renan Franz. Foto: Divulgação.

A startup gaúcha Meerkat lançou no final do ano passado uma API para desenvolvedores e empresas que queriam incorporar recursos de identificação de pessoas às suas soluções. Além disso, a empresa oferece uma solução on-premise de reconhecimento facial.

Com o sistema, empresas de software podem integrar a tecnologia da Meerkat em suas soluções. O desenvolvimento da ferramenta começou em junho do ano passado. A partir de outubro, a empresa também passou a se dedicar à API.

O sistema faz a detecção de faces a partir da extração de detalhes únicos que determinam os rostos - como distância entre os olhos. É possível inserir fotos no sistema para receber avisos quando pessoas cadastradas forem identificadas no local.

A empresa está desenvolvendo um recurso de contagem de pessoas para inserir na solução. A ferramenta vai possibilitar a geração de mapas de calor, com análises sobre tempo médio de fila, áreas mais acessadas, entre outros relatórios.

Para utilizar a API, há valores que variam de acordo com o número de rostos analisados, mas há um plano gratuito com uso restrito.

“O valor está ligado ao custo do armazenamento na nuvem da Amazon Web Services. Para um uso com 100 mil análises por mês, a mensalidade fica em R$ 990”, explica Renan Franz.

Além de Franz, administrador com ênfase em finanças, a Meerkat tem como co-fundadores Guilherme Fickel e Gustavo Führ, engenheiros de visão computacional.

Nos próximos 3 meses, a empresa espera contar com 15 desenvolvedores pagantes utilizando a API. Além disso, a Meekat tem a expectativa de conquistar três clientes para seu sistema on-premise.

Segundo Franz, muitas empresas brasileiras utilizam sistemas de reconhecimento facial estrangeiros, como o Face++, da China, que tem 97,5% de assertividade. O sistema da Meerkat alcança 95% atualmente. 

A startup gaúcha foi listada no final do ano como a sétima empresa do 100 Open Startups, ranking que aponta as jovens empresas de tecnologia mais atraentes para companhias de grande porte.

O recurso de reconhecimento facial parece ser uma das áreas de interesse mais recentes das empresas de TI.

No final do ano passado, a Ruá Sistemas Automatizados, de Porto Alegre, lançou o 2bface, plataforma de identificação que funciona de forma integrada com câmeras de circuito fechado de TV (CFTV). A empresa contou com a tecnologia de reconhecimento facial da Meerkat para lançar a plataforma.

O sistema foi desenvolvido pela Ruá Start, spin-off fundado em 2014 pela Ruá, três anos após a venda sua divisão de sistemas de gestão para a catarinense Senior. Com o 2bface, as empresas podem cadastrar os clientes a partir do registro de um vídeo de cerca de 30 segundos para captar o rosto em movimento. A partir disso, o cliente cadastrado será identificado quando voltar ao estabelecimento.