A Echoenergia adotou o ea-Wind para monitorar e operar à distância seus complexos eólicos. Foto: Divulgação.

A Echoenergia, empresa que implementa e opera projetos de geração de energia elétrica a partir de fontes renováveis, adotou o ea-Wind em seu Centro de Operação da Geração (COG), localizado em São Paulo. 

O sistema de gestão de usinas eólicas é desenvolvido pela Energia Automação sobre o framework do Elipse Power e Elipse Plant Manager, plataformas da Elipse Software. 

Fundada no início de 2017, a Echoenergia tem sede administrativa em São Paulo e atividades operacionais distribuídas nos estados de Pernambuco, Ceará, Rio Grande do Norte e Bahia. 

Os projetos da Echoenergia somam 476 MW, sendo 346 MW em operação e 130 MW em implantação.

A adoção do sistema foi feita com o objetivo de monitorar e operar à distância seus complexos eólicos de São Clemente e Santa Rosália, sediados nos estados de Pernambuco e Ceará.

O Complexo Eólico São Clemente é hoje o maior empreendimento eólico de Pernambuco. Composto por oito parques eólicos, em uma área de 3700 mil hectares, o empreendimento possui 126 aerogeradores e uma capacidade instalada total de 216 MW. 

Já o Complexo Eólico Santa Rosália está localizado na Serra de Ibiapaba, no município cearense de Tianguá. Composto por cinco parques eólicos, 77 aerogeradores e uma capacidade instalada total de 130 MW, o empreendimento cobre uma área de 9000 hectares. 

Os dois complexos fazem parte do portfólio da Echoenergia desde abril de 2017. Ambos contam com Elipse Gateways instalados em servidores industriais Advantec ECU-4784H, responsáveis por coletar e disponibilizar os dados dos parques, aerogeradores e subestações para o COG. 

Para o projeto, o Elipse Power foi instalado sob uma arquitetura com dois servidores virtuais. Enquanto um deles conta com tecnologia VMware sobre um pool de hardware Dell localizado em um data center, no mesmo local do COG, o outro, de mesma capacidade, é hospedado na nuvem da Amazon Web Services. Os dois servidores funcionam em contingência. 

Este par de servidores realiza a comunicação com os módulos Elipse Gateway dos complexos eólicos através de protocolo IEC 60870-5-104. Todas as conexões de rede existentes entre os parques, COG e nuvem AWS são baseadas em túneis VPNs redundantes.

Com o objetivo de gravar os dados do processo da geração, o Elipse Plant Manager (EPM) foi instalado em outro servidor, também na nuvem da AWS. 

As informações geradas pelo software são armazenadas em um banco de dados SQL Server que roda diretamente sob a plataforma de banco de dados relacional, como o RDS da Amazon. 

O COG conta com três estações de operação equipadas com dois monitores e um videowall, composto por 10 monitores Full HD para otimizar a supervisão dos complexos. As três estações de operação também são virtuais, desenvolvidas sob a mesma tecnologia VMware e Dell.