Hora do Android no trabalho. Foto: reprodução.

Depois de conquistar o mercado global de smartphones para o consumidor final, o Google quer levar o seu sistema operacional móvel para as corporações com o Android for Work, novidade lançada pela empresa nesta quarta-feira, 25.

Muito criticado por suas falhas de segurança - ponto de disputa com outros sistemas mais disseminados no meio empresarial como iOS e Blackberry - o sistema da empresa de Mountain View foi repensado para as demandas corporativas.

Segundo destaca o The Verge, o objetivo da nova plataforma é facilitar às empresas o desenvolvimento de apps e ambientes de trabalho em Android, assim como reforçar a segurança destes ambientes.

Esta é a primeira vez que o Google aposta diretamente em uma plataforma móvel própria para empresas - em 2013 a Samsung fez a sua investida com o Samsung Knox, camada criada sobre o Android, com recursos de segurança e aplicações para empresas.

Para Rajen Sheth, gerente de produto do Google,  mobilidade empresarial avançou a passos largos depois que a Blackberry liderou o primeiro boom deste segmento, hoje chegando a mais de 100 milhões de dispositivos gerenciados.

Para Sheth, este cenário atual é apenas a ponta do iceberg em relação ao potencial que ele aprensenta. "Estamos apenas arranhando a superfície", afirmou o executivo.

O Android for Work consiste de duas frentes, uma delas composta por novas tecnologias que serão agregadas ao Android 5.0 (Lollipop), e um plano de parcerias como fabricantes, desenvolvedores de software, companhias de gerenciamento de dispositivos, entre outras.

O primeiro foco da tecnologia será o conceito de perfis de trabalho, separando as contas pessoais e de trabalho. Isso deixa todos os apps, arquivos e comunicações divididos dentro do aparelho, e esse gerenciamento pode ser feito pela equipe de TI das empresas.

Entretanto, para deixar a navegação suave, Sheth afirmou que o desafio do Google foi garantir que estes perfis possam ser alternados de forma simples e rápida, com a camada de segurança aplicada nos apps e não com separação de contas.

Com este tipo de segurança, é possível baixar apps pessoais para o celular sem a necessidade de passar por verificações de segurança do ambiente corporativo.

Para começar o Google for Work, a empresa alinhou um corpo de importantes empresas, entre elas fabricantes como Samsung, HTC e Motorola, assim como empresas de software como Adobe, Box, Salesforce, Cisco e Citrix.

Uma parceria notável neste mix é com a BlackBerry, primeira empresa a causar impacto no mercado de mobilidade corporativa e que perdeu espaço ao longo dos anos. Entretanto, suas soluções de segurança móvel ainda são bastante respeitadas, e este é o know-how que o Google pretende aproveitar em seu novo produto.

Com isso, o Google finalmente entra em uma briga em que a Apple já havia mostrado grandes armas. No ano passado, a companhia estabeleceu uma parceria com a IBM para impulsionar o uso do iOS em ambientes corporativos.

Em dezembro, as duas companhias lançaram o MobileFirst, um pacote de apps específicos para atividades empresariais, otimizadas para o uso em plataformas Apple.

De acordo com analistas, o grau de adoção do Android for Work ainda está para ser visto, mas o timing para aproveitar o mercado é adequado. "No mínimo, parece bem mais atraente que carregar aquele velho Blackberry que sua companhia lhe obriga a usar faz tempo", afirmou Nathan Ingram, do The Verge.