Luiz Zancanella. Foto: Divulgação, Cristina Tworkowski

A Safeweb, porto-alegrense especializada em certificação digital, vai para uma nova sede, cinco vezes maior do que a atual, onde o número de clientes atendidos subirá de sete para 12 a cada 15 minutos só na área de emissão de certificados.

Ou seja: 48 emissões por hora, em um plano que é base da empresa para faturar cerca de R$ 18 milhões em 2012, alta em torno de 20% sobre o ano passado.

"A nova sede está em construção. Devemos nos mudar em novembro", conta o diretor-presidente da Safeweb, Luiz Carlos Zancanella.

O espaço - 1.250 m² distribuídos em duas torres de cinco andares cada - também permitirá expandir o data centerpara uma capacidade de armazenamento de 20 Tb, possibilitando oferta baseada em cloud computing.

"Com isso, os clientes poderão acessar e usar os sistemas contratados pela Internet, sem se preocupar com backup e atualização, por exemplo", destaca Zancanella.

A empresa, que também oferece soluções para segurança de documentos eletrônicos, aplicações e transações seguras via web, vai ampliar, ainda, a área de desenvolvimento de sistemas em cerca de 50%, com a nova sede.

Já a capacidade de suporte técnico deve dobrar.

Ampliações que elevam, é claro, o número de colaboradores, que deverá subir dos atuais 70 para cerca de 100.

A área de treinamentos também será beneficiada, tendo sala própria equipada com lousa interativa para o instrutor e computadores para uso individual dos clientes em treinamento, visando mais dinamismo e facilidade no processo de assimilação do uso dos sistemas, como o de nota fiscal eletrônica, por exemplo.

Outro incremento trazido pela nova sede é a segurança, já que o acesso ao prédio será realizado por biometria, com sistema de identificação por leitura facial da alemã Cognitec.

O sistema será usado para identificação de visitantes e movimentação interna de colaboradores.

Com mais de 100 mil clientes em certificação digital e outros cerca de 3,2 mil em NF-e e NFS-e, áreas que também atende, a Safeweb conta com uma carteira formada por nomes como Banrisul, Fiergs, TJ-RS, TRT-RS, HCPA e Severo Roth, entre outros.

O prédio apresentará ainda iniciativas sustentáveis, que priorizam a reutilização dos recursos naturais, como a captação da água da chuva para uso nos banheiros e da luz solar para a iluminação dos ambientes, que será transmitida através da fibra ótica.

Além da sede, a companhia conta com 95 postos de atendimento distribuídos pelo Rio Grande do Sul e outros 11 estados brasileiros.