BALA

Soluti: R$ 30 mi em nova sede com data center

26/04/2021 13:19

Empresa de certificação digital terá um dos maiores DCs do Centro Oeste.

Vinícius Sousa, CEO da Soluti.

Tamanho da fonte: -A+A

A Solutis, uma das maiores empresas no segmento de certificação e assinatura digital, está investindo R$ 30 milhões em uma nova sede com data center incluído em  Goiânia.

Com inauguração prevista para julho próximo, a nova sede terá 4,3 mil metros quadrados de área construída, incluindo refeitório e um espaço de corworking.

Já o data center terá uma área inicial de 700 m2 e capacidade de 108 racks, com possibilidade de expansão futura. 

O local poderá ser usado por clientes para colocation e para serviços gerenciados. De acordo com a Soluti, será o maior centros de dados da região Centro Oeste (a maioria dos grandes data centers do país está em São Paulo).

O edifício terá a certificação de sustentabilidade LEED, uma das mais reconhecidas para construções verdes.

Dentre as inovações existentes estão a energia fotovoltaica, iluminação de tecnologia LED de alta eficiência, uso racional da água e a utilização de materiais e equipamentos reciclados e reutilizados na realização da obra.

"O projeto foi pensado para promover a integração entre as áreas e aumentar a capacidade tecnológica para o desenvolvimento de soluções inovadoras, que atendam às atuais demandas de digitalização dentro das empresas e facilitem o dia a dia das pessoas”, explica o CEO da Soluti, Vinícius Sousa.

A Soluti fechou 2020 com aproximadamente 2 milhões de certificados digitais emitidos, um crescimento de 43%, comparado ao ano anterior. 

A empresa tem feito investimentos nos últimos tempos. Em março do ano passado, colocou R$ 2 milhões na App Facilita, startup goiana de venda de empreendimentos imobiliários.

Já em 2018, a empresa fez um aporte de R$ 3 milhões na Dinamo Networks, fabricante brasileira de hardware para guarda segura de certificados digitais.

Com o negócio, a Soluti passou a ser dona de 10% da Dinamo e diversificou sua receita vendendo a versão na nuvem para pequenas empresas do hardware security module (HSM) da Dinamo.

A tacada mais ousada foi a a compra da unidade de negócios de certificação digital da multinacional americana DocuSign no Brasil, em 2017.

Veja também

NUVEM
Claranet anuncia aquisição da Mandic

A Riverwood Capital, principal investidora da comprada, terá uma participação na compradora.

VAREJO
Banco Senff tem pagamento por biometria facial

Projeto é da Payface, uma startup de Florianópolis que está em alta no nicho.

CRIPTOGRAFIA
Ministério da Defesa: segurança com Kryptus

Empresa vai atuar no projeto da nova Rede Operacional de Defesa do Brasil.

IDENTIDADES
Ex-presidente da Optum é novo diretor da Certisign

Luiz Rodrigo de Barros e Silva é o terceiro executivo contratado pela companhia nos últimos meses. 

MERCADO
Soluti de olho na liderança em certificação

Empresa teve faturamento de R$ 75 milhões, uma alta de 30% frente aos resultados de 2017.

ROSTOS
Startup de biometria facial Unike capta R$ 3 milhões

Empurrada por fintechs e alta do e-commerce, identificação por reocnhecimento de face está em alta.