James Rocha, diretor de operações da Meta.

A Meta acaba ser certificada no nível 3 do modelo de qualidade de desenvolvimento de software CMMI.

O processo teve apoio de duas consultorias externas, a Software Process e a Crest Consulting, e tem alguns fatores exclusivos.

Um deles é que empresa é uma das primeiras brasileiras a obter a versão 2.0 do selo que atesta a maturidade no desenvolvimento de processos, com a diferença adicional de ter feito o mesmo usando métodos ágeis.

Outro é que a etapa final da certificação aconteceu pela primeira vez de forma 100% remota em virtude da pandemia do coronavírus.

“Este é um marco importante que reforça nosso compromisso com a entrega de soluções que permitam que empresas e organizações criem projetos adaptáveis às mudanças”, explica James Rocha, diretor de operações da Meta.

O processo teve duração de nove meses e aconteceu no centro de excelência da empresa, localizado em Recanto Maestro, no centro do Rio Grande do Sul, contando com o envolvimento e a dedicação de mais de 30 profissionais

Em todo Brasil, apenas cerca de 40 organizações estão certificadas CMMI, a grande maioria delas no nível 2 do sistema, que pontua entre 2 e 5, sendo o 5 o nível máximo.

Meia dúzia de multinacionais detém o nível máximo e um grupo um pouco maior de empresas brasileiras o nível 3.

A Meta tem uma atuação diversificada, presença nacional com escritórios no Rio Grande do Sul, São Paulo, Paraná, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Miami e mil funcionários atendendo uma carteira de 350 clientes, incluindo nomes como Lojas Renner, Herval, Hospital Sírio Libanês, Unimed, Sicredi e GetNet.