Guilherme Camargo, CEO da Sioux. Foto: Divulgação.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou financiamento no valor de R$ 2,6 milhões para Sioux, empresa paulista especializada em gamificação, realizar seu plano de investimentos 2016-2018, no valor total de R$ 5 milhões. O apoio do BNDES corresponde a 51% do investimento total. 

Os recursos são do Programa BNDES para o Desenvolvimento da Economia da Cultura (BNDES Procult).

Estima-se que o projeto da Sioux apoiado pelo BNDES ampliará em 50% os postos de trabalho na empresa, em áreas como planejamento, design de jogos, projeção gráfica 3D, programação, suporte, gerenciamento de projetos e assessoria de imprensa, entre outras. 

O financiamento do BNDES à Sioux busca fortalecer a utilização de games na transmissão de conhecimento, ao apoiar a plataforma Ludos Pro e o portal Brincando na Rede; o aprimoramento na comercialização dos jogos desenvolvidos por empresas brasileiras, por meio de sua atuação como publicadora; e desenvolvimento de novos modelos de negócios que permitam a geração de propriedade intelectual própria, tal como o Moovieplay. 

A Sioux já realizou projetos como o desenvolvimento do app para o Jogo da Vida, da Estrela; a criação do aplicativo Santander Universitário, pelo qual é possível disputar uma bolsas de estudo para um curso de Empreendedorismo em Boston; e o desenvolvimento de uma plataforma que simula o escritório da Ingenico e suas áreas, para trazer maior interatividade, engajamento e retenção nos processos de onboarding.

De acordo com a mais recente pesquisa Global Games Market Report, da Newzoo, 2.2 bilhões de gamers no mundo deverão gerar quase US$ 109 bilhões em receita neste ano. O valor representa um crescimento de 7,8% em relação a 2016.

O Brasil aparece em 12º no ranking entre os 20 países que mais geram negócios com a venda de games.