Site da prefeitura foi invadido.

O site da prefeitura de Porto Alegre foi invadido por hackers ao redor das 14h50 desta terça-feira, 26.

A página ficou tomada por uma mensagem dos invasores por cerca de 10 minutos, depois foi tirada do ar por administradores. 

A reportagem do Baguete procurou a prefeitura, que confirmou o ataque, mas não abriu maiores informações sobre o ataque ou deu uma previsão de volta dos serviços.

A invasão acontece no quinto dia da greve na Procempa, estatal municipal de processamento de dados que tem entre suas atribuições a manutenção do site da prefeitura.

Procurada, a Procempa diz que mantém um "número mínimo" de funcionários trabalhando e que retirou o site do ar para fazer uma “varredura” com o objetivo de identificar eventuais problemas provocados, um "procedimento considerado padrão". 

A imagem publicada na página da prefeitura afirma que a invasão foi feita pelo hacker D4RKRON e divulga o perfil do Twitter @D4RKRON.

O perfil comemora invasões em diversas prefeituras do país, incluindo Chapecó, Sumaré, Cascavel e Porto Velho.

Invasão de sites de prefeituras parece ter se tornado um hobby pelo país.

Uma pesquisa sobre o tema no Google mostra que só em 2018 foram invadidos os sites de cidades como Santos, Belo Horizonte e Blumenau.

Na maior parte das ocasiões, trata-se de uma mistura de protesto político e exibicionismo de hackers, mas uma nova tendência parece estar em alta.

Algumas prefeituras de menor porte estão tendo seus sistemas sequestrados por criptografia por hackers pedindo um resgate pago em criptomoedas.

Foi o caso de Jóia, uma pequena cidade no Noroeste do Rio Grande do Sul, à qual os hackers pediram um resgate de US$ 4 mil no começo do ano.

Jóia, como outras prefeituras atacadas, não pagou.