Carlos Marinelli, presidente do Grupo Fleury. Foto: divulgação.

O Grupo Fleury, empresa brasileira de medicina diagnóstica, adotou a ferramenta Qualtrics Remote Work Pulse, da SAP, para avaliar a experiência dos colaboradores após a mudança para o trabalho remoto.

Com o início do distanciamento social, 98% dos mais de 1,2 mil funcionários do corporativo da companhia migraram para o home office. Em um primeiro momento, o Pulse foi usado para perguntar sobre como as pessoas estavam percebendo a comunicação da empresa nesta nova realidade.

Ao receber os feedbacks, o Fleury incorporou alguns insights e fez mudanças na forma como vinha se comunicando.

Mais recentemente, a ferramenta da SAP foi utilizada para uma pesquisa relacionada à perspectiva de retorno aos espaços corporativos de trabalho da companhia, que revelou uma surpresa com o resultado: apenas 1% dos colaboradores corporativos disseram que querem voltar a trabalhar todos os dias no escritório da empresa.

Por conta disso, o Grupo Fleury decidiu que o retorno ao ambiente de trabalho será híbrido, assim como as grandes reuniões, e o escritório se tornará uma opção para o colaborador. 

Segundo a companhia, a partir de agora serão três opções de trabalho: escritório, home office e home work. 

Na prática, o primeiro grupo vai passar mais tempo no escritório corporativo e fará home office às vezes, o segundo vai atuar de uma maneira híbrida, mesclando o trabalho presencial e o remoto, e o terceiro passará mais tempo trabalhando em casa e irá algumas vezes à empresa.

Na pesquisa, foram identificados funcionários que moram com pessoas de grupos de risco da Covid-19, como idosos e pessoas com doenças crônicas, e estes vão poder ficar em casa o quanto quiserem.

Segundo o Grupo Fleury, a nova ferramenta foi muito importante para sentir o clima da organização e para que as pessoas se expressassem, considerando que muitas vezes a dinâmica não permite que isso aconteça tão abertamente.

“O Pulse dá uma agilidade para a gente nesse momento de entender o que a companhia está pensando. Estamos num momento em que essa distância, que foi obrigatoriamente imposta para a gente, não poderia significar que estamos desconectados”, ressalta Carlos Marinelli, presidente do Grupo Fleury.

Com mais de 90 anos de história, o Grupo Fleury possui um portfólio de medicina diagnóstica com cerca de 3,5 mil testes em 37 áreas diferentes. 

Por conta da empresa atuar na área da saúde, o restante de seus mais de 10 mil funcionários e 3 mil médicos seguem trabalhando presencialmente em seus mais de 250 unidades de atendimento espalhadas pelo Brasil ou, ainda, no atendimento domiciliar. 

A empresa realiza uma média de 75 milhões de exames de análise clínica e 5 milhões de exames de diagnóstico por imagem a cada ano.

O Grupo Fleury já trabalhava com a SAP há muito tempo na área financeira e, mais tarde, passou a ser parceira também na área de recursos humanos.

Hoje o Qualtrics Remote Work Pulse está sendo usado por mais de 17 mil empresas no mundo, sendo 164 no Brasil. São empresas de todo os segmentos, desde financeiro a bens de consumo, entre elas a Ipiranga.

“Ele é muito rápido e os resultados são muito fáceis de analisar e tomar decisões. Nós vamos entrar na nossa terceira onda aqui na SAP Brasil e é muito interessante, pois a gente não pergunta apenas como a pessoa está. Quando se tem mais de uma interação,  conseguimos ir observando tendências”, conta Cristina Palmaka, presidente da SAP Brasil.

A Qualitrics foi uma aquisição de € 8 bilhões feita pela SAP no final de 2018.

Foi a maior aquisição de uma companhia de software como serviço já feita pela SAP e, na indústria em geral, só fica atrás da compra da Netsuite pela Oracle, um negócio de US$ 9,3 bilhões fechado em 2016.

No Brasil, companhias como Fast Shop, Mercedes-Benz e Serasa já utilizavam o Qualtrics antes mesmo da aquisição pela SAP.

Desde então, a SAP desenvolveu algumas integrações entre seu software e a plataforma de experiência do cliente da Qualitrics, algumas delas focadas na experiência interna dos funcionários.