É ruim para você. Foto: flickr.com/photos/borkazoid

Teresina, capital do Piauí, proibiu a venda de carne vermelha nas segundas-feiras, através de uma lei que entra em vigor a partir de outubro.

A lei é de autoria da vereadora Teresa Britto (PV-PI), e foi sancionada pelo prefeito Firmino Filho (PSDB-PI).

“O objetivo é conscientizar a população quanto aos malefícios do consumo. A carne provoca câncer e outras doenças e a pecuária é a atividade que mais emite gases do efeito estufa”, justificou a criadora do projeto ao Cidade Verde, site de notícias da região.

Teresa tem companhia famosa na sua tentativa de legislar sobre as preferências de alimentação da população.

O prefeito de Nova Iorque, Michael Bloomberg, tentou proibir a venda de refrigerantes tamanho família (470 mililitros), numa medida que acabou barrada na Justiça.

Talvez os esforços da vereadora seriam melhor direcionados se buscassem criar condições para que mais piauienses pudessem comer carne – ou qualquer outro alimento de sua preferência.

Atualmente, dos 16,2 milhões de brasileiros que vivem em extrema pobreza, 665 mil estão no Piauí, mais ou menos um entre cada 26, quando a população do estado representa 1 entre cada 62 brasileiros.

Teresina, cidade que concentra cerca de um terço da população do estado, tem o 2º pior IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) entre as capitais do Nordeste.