A conferência da HIMSS irá discutir como a TI pode melhorar o setor de saúde.Foto: Pressmaster/Shutterstock.

A conferência latino-americana da HIMSS (Healthcare Information and Management Systems Society), em associação com a ABCIS (Associação Brasileira CIO Saúde), irá discutir como a tecnologia pode melhorar o setor de saúde. O evento ocorre no Grand Hyatt São Paulo, nos dias 4 e 5 de novembro.

No evento, um painel de líderes regionais discutirá como estabelecer governança para apoiar a troca de informações e como as agências governamentais podem reunir recursos para dar um salto e fornecer os melhores serviços de saúde possíveis.

“Os sistemas de saúde estão sob pressão real para fornecer mais e melhores cuidados por menos. A única solução é tornar-se mais eficiente e isso exige sistemas de TI de classe mundial”, afirma Jeremy T. Bonfini, vice-presidente executivo do setor de serviços globais da HIMSS.

Organizações e sistemas de saúde irão compartilhar o seu progresso por meio de uma referência internacional chamada de modelo de adoção de prontuário médico eletrônico (EMRAM). O objetivo será reconhecer o progresso tangível sendo feito e premiar as unidades de saúde que alcançam os padrões de qualidade.

“A segurança e a privacidade estão se tornando um grande desafio para as organizações de saúde. Casos de fraude de seguro de saúde e roubo de identidade estão se tornando cada vez mais comuns. O primeiro campo de treinamento em cibersegurança da HIMSS América Latina vai preparar os diretores de informática para combater esses criminosos cibernéticos”, completa André Luiz de Almeida, presidente da ABCIS.

O campo de treinamento apresentará os resultados da primeira pesquisa sobre cibersegurança da América Latina para compreender melhor a prontidão da região no combate aos ladrões cibernéticos. Os participantes também receberão o certificado do campo de treinamento em cibersegurança da HIMSS América Latina ao final da conferência.

“Teremos a presença de Lisa Gallagher, vice-presidente do setor de soluções tecnológicas da HIMSS, uma especialista internacional dos EUA que está trabalhando com os hospitais na linha de frente das guerras cibernéticas, para apresentar as defesas mais recentes contra os ataques cibernéticos e violações resultantes dos dados de pacientes”, afirma Bonfini.