Germano Grings. Foto: divulgação.

Cada vez mais focada em se estabelecer em um player de varejo de tecnologia para o segmento de alto valor (high-end), o Grupo Herval está investindo na marca Mistertech, rede de lojas focada em produtos do universo Microsoft e Android.

A empresa já tem duas lojas, uma em Florianópolis e outra no Rio de Janeiro. A terceira inauguração ocorre esta semana em Porto Alegre e a empresa já tem sua quarta lojas prevista para abrir em Londrina.

De acordo com Germano Grings, vice-presidente do grupo Herval, o diferencial da nova rede é levar uma experiência diferenciada de compra para os consumidores, com profissionais especializados nos produtos à venda, com um enfoque parecido com o da Apple em suas lojas.

No Brasil, a Herval tem uma parceria com a Apple com a rede de lojas iPlace, especializada na marca e que já conta com 100 lojas em shoppings pelo país. A Mistertech tomará um caminho semelhante, com lojas de médio porte em shoppings de grandes centros.

"Por se tratar de Microsoft e Android, acreditamos que é possível alcançar um crescimento mais rápido do que tivemos com a rede iPlace, em que chegamos a 100 lojas em cinco anos. Queremos estabelecer presença em todas as regiões do país já em 2016.", revela Grings.

No caso da Mistertech, o mix de produtos engloba onze diferentes marcas entre fabricantes de celulares, PCs, softwares e acessórios para estas linhas de produtos: Belkin, Customic, Dell, D-Link, Golla, GoPro, HP, JBL, Lenovo, LG, Linksys, Microsoft, Misfit, PureGear, Samsonite, Samsung e Symantec.

"Queremos trazer uma experiência de alto valor agregado e produtos de alta performance, atendendo aos consumidores que estão cada vez mais exigentes quanto à tecnologia que compram. O objetivo é oferecer produtos e dar suporte adequados com a necessidade de cada cliente", avalia Grings.

Segundo o gerente, a experiência da Herval com suas lojas em parceria com Apple e HP (HP Store), assim como sua relação pela Taqi (marca de varejo popular que o grupo possui na região sul) aproximou a companhia das grandes fabricantes e possibilitou o plano da Mistertech.

"No contrato com cada uma das marcas parceiras exigimos o treinamento de nossa equipe para dar o melhor suporte quanto aos produtos. Além disso, essa relação estreita nos possibilita conseguir melhores preços", afirmou Grings.

O investimento em treinamento também mira clientes B2B, uma experiência já feita nas HP Stores, onde profissionais são especializados na oferta de produtos e serviços a pequenas e médias empresas.

Ao comentar o mercado, Grings não teme um possível impacto do câmbio sobre os eletrônicos, nem a interferência do final da Lei do Bem, que isenta tributação de aparelhos de entrada e preços intermediários, na proposta da Mistertech.

Para o gerente, o final da MP do bem pode até auxiliar a nova marca, já que focamos em produtos de nível tecnológico mais elevado, em faixas de preço onde não existia a isenção.

"Sem uma grande diferença entre os produtos com desconto e os mais high-end, muitos consumidores podem pensar em gastar um pouco a mais para levar produtos mais avançados", avalia Grings.