Luís Felipe Maldaner.

Luís Felipe Maldaner, atualmente diretor de Participações e Inovação do Badesul, assume em abril a gestão executiva do Tecnosinos, parque tecnológico localizado em São Leopoldo, na região metropolitana de Porto Alegre.

O executivo substituirá Susana Kakuta, que, depois de seis anos à frente do Tecnosinos, está indo para a presidência do mesmo Badesul, banco de fomento estatal que a profissional já havia liderado antes de ir para o Tecnosinos, durante o governo Yeda Crusius (PSDB).

No comando do Tecnosinos, Kakuta atraiu importantes investimentos para o parque tecnológico situado na Unisinos, que se igualou em relevância ao Tecnopuc, parque ligado a PUC-RS sediado em Porto Alegre que até então era líder inconteste no Rio Grande do Sul.

Um dos principais acordos foi firmado com a fabricante de semicondutores HT Micron, uma joint-venture da brasileira Parit Participações com a sul-coreana Hana Micron.

Parte da experiência profissional do novo gestor do Tecnosinos está conectada com esse empreendimento. Maldaner trabalhou por 36 anos no Banco do Brasil, período no qual chegou a ser superintendente regional.

Entre 2007 e 2012, Maldaner abriu e chefiou o escritório do Banco do Brasil B em Seul, capital da Coréia do Sul.

Além da HT Micron, que começou a produção no ano passado, com investimentos de R$ 110 milhões, com planos de investir outros R$ 260 milhões para os próximos anos. 

Outro dos destaques é o SAP Labs, centro de desenvolvimento e suporte da SAP, que deve fechar o ano com 750 funcionários. O Tecnosinos também é sede de empresas gaúchas com atuação nacional como Grupo Meta, SKA e CWI.

Em 2013, o Tecnosinos contava com 75 empresas abrigadas, com 30 delas sendo incubadas. O faturamento anual giraria em torno de US$ 1 bilhão, com cerca de quatro mil empregos gerados - metade deles são de nível superior.