O Facebook bloqueou temporariamente a publicação de novos chatbots. Foto: Divulgação.

O Facebook bloqueou temporariamente a publicação de novos chatbots para interagir com os consumidores por meio do Messenger.

Os robôs já instalados podem seguir em funcionamento, mas não há uma data definida para a liberação da plataforma para novos bots.

A medida faz parte de uma série de ações anunciadas nesta semana pelo Facebook para melhorar aspectos de segurança e proteção de dados após os escândalos relacionados ao uso indevido de informações de usuários da rede social.

Uma das promessas é a realização de uma análise detalhada da plataforma para investigar todos os aplicativos que tiveram acesso a grandes quantidades de informações antes de uma alteração feita pela empresa em 2014 para reduzir o acesso a dados.

Caso uma ferramenta seja removida por uso indevido de dados, o Facebook irá informar os usuários e impedir os desenvolvedores de voltarem a utilizar a rede.

A companhia também irá determinar termos mais exigentes para aplicativos business-to-business: todos os desenvolvedores que criam aplicativos para outras empresas precisarão cumprir políticas e termos rigorosos, que serão divulgados com detalhes nas próximas semanas.

Para o mercado de chatbots, que está em alta, a notícia significa perder temporariamente a rede com o maior alcance aos consumidores e mais avançada nas possibilidades de atendimento automatizado.

De acordo com um levantamento do Mobile Time divulgado em novembro de 2017, o Brasil conta hoje com pelo menos 56 empresas que desenvolvem chatbots. Juntas, as companhias já produziram cerca de 8 mil robôs, que trafegam aproximadamente 500 milhões de mensagens por mês.

O Facebook Messenger é apontado por 46% dessas empresas o principal canal para utilização dos bots, seguido por sites na web (25%).

De acordo com o estudo, 45% dos desenvolvedores de bots no Brasil são de pequeno porte, com no máximo 10 robôs publicados. 

Outras 39% empresas são de porte médio, com entre 11 e 100 bots construídos. Apenas quatro empresas (7% da base), podem ser consideradas grandes, com centenas de bots lançados. Já duas são gigantes, com milhares de bots desenvolvidos.