Produzir remédios no Brasil não compensa. Foto: flickr.com/photos/stockcatalog

O grupo farmacêutico suíço Roche decidiu encerrar a produção de medicamentos no Brasil, com o fechamento da sua fábrica localizada em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, entre quatro e cinco anos.

A medida foi divulgada em comunicado da empresa. A Roche Farma Brasil, divisão do grupo no país, manterá a sede e o escritório administrativo em São Paulo, e o centro de distribuição que possui em Anápolis, Goiás.

Não serão feitas demissões em 2019, mas no médio prazo 440 empregados na unidade devem ser demitidos.

A empresa atribuiu a decisão à estratégia global de "concentrar os esforços em produtos inovadores de alta complexidade e baixo volume de produção".

Segundo a Roche, os medicamentos produzidos atualmente no país, incluindo marcas conhecidas como Valium, Lexotan e Rivotril, são produtos de alto volume e baixa complexidade, "o que torna a operação do Rio de Janeiro pouco sustentável".

Para aqueles que possam se preocupar com a interrupção do fornecimento de remédios tarja preta, uma necessidade crescente no Brasil atual, a multinacional tem palavras tranquilizadoras:

"A Roche reforça seu compromisso de continuar abastecendo os pacientes com os medicamentos de alta qualidade hoje fabricados no Rio", acrescentou a empresa em nota. 

A empresa informa em seu site ter 1.200 colaboradores em toda a operação no Brasil.