APAGÃO

CNPq tem servidor “queimado” e paralisa ciência

27/07/2021 17:00

Problema impacta as plataformas Lattes e Carlos Chagas há quatro dias.

O CNPq financia cerca de 84 mil pesquisadores. Foto: Sumaia Villela/ Agência Brasil.

Tamanho da fonte: -A+A

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) sofre um apagão  nas plataformas Lattes e Carlos Chagas, principais sistemas federais da pesquisa brasileira, desde a última sexta-feira, 23, por conta da queima de um servidor.

De acordo com a Folha de São Paulo, o problema impacta processos rotineiros relacionados ao fomento à pesquisa, como pagamento, renovações de bolsas e prestações de contas, além da  impossibilidade de acesso a editais, como o de bolsas de produtividade em pesquisa.

"A agência está paralisada. Com as plataformas indisponíveis, não conseguimos fazer praticamente nada", disse Roberto Muniz, diretor do Sindicato Nacional dos Gestores Públicos em Ciência e Tecnologia e presidente da Associação de Servidores do CNPq, à publicação.

A única plataforma do órgão em operação seria o site, que é hospedado no servidor central do Governo Federal.

Ainda não há detalhes sobre a causa do apagão, mas informações obtidas com funcionários indicam a queima de “um dispositivo de um equipamento que tem a função de controlar os servidores onde as plataformas ficam hospedadas”, ocorrida durante a migração para um novo equipamento.

Funcionários apontam falta de manutenção dessa infraestrutura, o que seria um impacto da pressão orçamentária que o órgão vive na presidência atual e na gestão passada.

Em nota, o CNPq admitiu o erro, que teria sido identificado no último sábado, 24, e informou que o “problema que causou a indisponibilidade dos sistemas já foi diagnosticado em parceria com empresas contratadas e os procedimentos para sua reparação foram iniciados".

Com isso, todos os prazos de ações relacionadas ao fomento do CNPq, incluindo a prestação de contas, estão suspensos e serão prorrogados, mas o órgão garante que o pagamento de bolsas não será afetado.

O Ministério da Ciência e Tecnologia nega problemas de orçamento e prevê a volta da normalidade "nos próximos dias".

Existe, ainda, a preocupação em relação à perda de dados. O CNPq nega que exista o risco de perda de informações e diz que "existem backups cujos conteúdos estão apoiando o restabelecimento dos sistemas”.

"O CNPq dispõe de novos equipamentos de TI e a migração dos dados foi iniciada antes do ocorrido", diz a nota.

A plataforma Lattes é um banco de dados com todos os currículos de pesquisadores e ações como a aprovação de bolsas dependem da consulta ao sistema.

Já pela plataforma Carlos Chagas, se operacionalizam chamadas públicas e editais de fomento à pesquisa, gestão e pagamento de bolsas.

Ligado ao Ministério da Ciência e Tecnologia, o CNPq financia cerca de 84 mil pesquisadores.

Além disso, outros órgãos como a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e agências de fomento ligadas a governos estaduais também realizam operações com auxílio da plataforma Lattes.

Veja também

INFRA
Intervalor: hiperconvergência com Dell

Com um ano de implantação, projeto da V8 Consulting também contou com soluções da VMWare.

PRÓXIMOS ANOS
Os desafios do data center no mundo pós-pandemia

Capacidade de adaptação ao novo contexto e redes bem equilibradas serão a chave para evolução.

BACKUP
Star Pex aposta em Arcserve UDP

A indústria precisava de seis a oito horas para recuperar um arquivo e, hoje, o processo leva minutos.

SEGURANÇA
SUS: Kid Bengala vira pai de Guilherme Boulos

Ministério da Saúde admite que a alteração foi feita por usuário credenciado do sistema.

INTERNAS
CEO da IBM fala sobre drama dos e-mails

Ficar sem e-mail não é tão ruim assim: IBM só perdeu um negócio de US$ 10 mil.

FERROVIÁRIA
Rumo migra para Oracle Cloud

Até então, a companhia tinha um datacenter mantido sob gestão própria e outro, pela Cosan.