EXPANSÃO

Spleet: contrato nos EUA rumo a R$ 2 mi

27/08/2012 14:34

Empresa assinou com a Pandora Global Systems e garantiu 50% da meta de contratos da unidade norte-americana.

Ronei Ferrigolo. Foto: Divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Spleet, empresa do gaúcho Ronei Ferrigolo especializada em desenvolvimento de mercado, assinou o primeiro contrato de sua unidade norte-americana, aberta em maio.

O contrato foi firmado com a Pandora Global Systems, especializada em TI para a área de clubes náuticos, portos e estaleiros, e fomenta a meta da Spleet de gerar R$ 2 milhões em negócios gerais em 2012.

Além disso, representa 50% da meta de contratos para o escritório, que fica na Flórida e funciona em parceria com a Ardiz Euroamerican Business Network, que possui atuação também na Espanha, Colômbia e México.

“Em 2012, nosso objetivo é fechar dois contratos, um na Europa e outro nos EUA, ambos em negociação pela base americana”, explica Ferrigolo. “Quanto à meta de R$ 2 milhões, já estamos em 90%. Logo, creio que será superada, pois prevemos atingir este valor em setembro”, completa.

A abertura nos Estados Unidos também incrementa os planos da Spleet, que foi fundada em 2010, de estar presente em três continentes dentro dos primeiros três anos de vida.

Estratégia de mão dupla: “Com esta junção, não só seremos porta de entrada para os parceiros brasileiros na América do Norte, como também poderemos atuar no mercado brasileiro”, complementa o CEO da Ardiz, Armando José Diaz.

Se armando para o crescimento que projeta, a Spleet já se muniu de um site em quatro idiomas: francês e espanhol, além do português e inglês.

POINT
Ainda de acordo com o executivo gaúcho, a escolha pela Flórida não se deu somente em função do parceiro, mas também pelo potencial do próprio mercado.

Hoje o terceiro estado americano em concentração de empresas de alta tecnologia, o local também tem expressão comercial: se fosse um país, a Florida seria a 20ª economia do mundo, garante Ferrigolo.

POR AQUI
Fundada em 2010, a Spleet atua, na prática, no repasse de negócios de clientes a uma lista de parceiros estruturados em verticais de indústria, serviços (que somam mais de 30 aliados) e licitações.

Para esta última, a Spleet conta com uma unidade própria, na qual mantém parcerias com as gaúchas JME, da área de sistemas de gestão com foco em saúde, e Alfamídia, voltada à educação profissional.

Outras gaúchas na carteira de parceiros são Advanced IT, de infraestrutura e projetos de bancos de dados, Sec2b e Zero-Defect, de testes e homologação de software, e Atlantis, provedora de soluções IP para controle e gerenciamento de dados.

Além da sede em Porto Alegre, a Spleet mantém escritórios em São Paulo e Rio de Janeiro.

Veja também

Spleet: Europa e AL até 2015

Com escritórios já estruturados em São Paulo e Rio de Janeiro, a Spleet, novo empreendimento do gaúcho Ronei Ferrigolo, projeta um crescimento agressivo para os próximos anos: a meta é chegar ao fim de 2010 com oito novos parceiros, site em quatro idiomas e novas unidades no interior paulista.

Já até 2015 o plano é abrir também na Europa, onde o provável destino é a Espanha; e na América Latina, onde a decisão ficará entre México e Colômbia.

BITS 2012
Teevo: expansão nacional em curso

Fusão da MI Informática, Abyz IT e SK Tecnologia fez uma joint venture em Curitiba e vai abrir operações em São Paulo.

29Sul começa expansão no exterior

A 29Sul, empresa de Teutônia-RS especializada em software de gestão para o mercado publicitário, encerrou 2011 com 230 clientes ativos na carteira, crescimento de 60% no faturamento, e o primeiro contrato no exterior, firmado junto à TBWA, que tem sede em Angola.

A companhia, que já atende a agências do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Minas Gerais, pretende se expandir no mercado internacional, e o foco inicial é a América Latina. 

Delta Cable fatura R$ 65 mi e mira expansão

A curitibana Delta Cable encerrou 2011 com faturamento de R$ 65 milhões, alta de 19,5% sobre o ano anterior.

O ano marcou também a expansão das atividades em mercados para além do Sul, onde a empresa afirma já deter o posto de maior distribuidora de tecnologias de rede.

A companhia abriu uma filial em São Paulo em 2011, que hoje representa 25% de seu faturamento geral.

Ci&T quer 1/3 da equipe no exterior até 2015

A paulista Ci&T planeja contratar cerca de três mil profissionais para operações no exterior nos próximos quatro anos, chegando a ter um terço da equipe no estrangeiro neste período.

Hoje, 35% do faturamento da companhia provém de exportação, atendida por três escritórios locais na Filadélfia, Nova Jersey e Atlanta, além de centros de desenvolvimento de Campinas, Belo Horizonte e Buenos Aires.

PRIMEROS PASOS
Silva & Lazaron estreia no mercado externo

Trabalho da consultoria envolve redesenho de processos para o cliente estrangeiro.

OUTROS MARES
Porto Digital atraca em SP e nos EUA

Com investimento do Grupo Jereissati, organização cujas empresas faturam R$ 1 bilhão criará uma aceleradora para empresas iniciantes. Escritório no Vale do Silício também está nos planos.

DAQUI PRA LÁ
LCS abre nos EUA

A integradora LCS, especializada em soluções para cloud computing, virtualização e data center, abriu uma filial em Fort Lauderdale, Flórida, para atender a empresas brasileiras que têm escritório nos EUA.

Com matriz em Ribeirão Preto e escritórios em São Paulo, Curitiba, Porto Alegre, Campinas, Goiânia, Belo Horizonte e Brasília, a LCS é parceira de nomes como Microsoft, IBM e Citrix.

BUSCANDO MERCADO
Hive Media abre escritório nos EUA

A Hive Digital Media, desenvolvedora brasileira de games, promoção online e social media, anunciou a abertura de um escritório em São Francisco, nos Estados Unidos, para exportar suas criações a outros países.

Com a nova unidade, a agência paulista, com seis anos de funcionamento, pretende fechar o ano de 2012 com faturamento de R$ 10 milhões, 40% superior ao do ano passado.