JURÍDICO

Assespro terá conselho com Ayres Britto

27/09/2018 05:41

Ayres Britto com Italo Nogueira e Letícia Batistela da Assespro.

Tamanho da fonte: -A+A

A Assespro criou um conselho focado em temas jurídicos, presidido pelo ex-ministro do Supremo Tribunal Federal Carlos Ayres Britto.

A iniciativa, batizada de Conselho de Inteligência Jurídica, foi lançada nesta quarta-feira, 26, em Brasília.

O conselho é formado por um time de 12 advogados conceituados que coordenam os grupos regionais de inteligência jurídica em TI da entidade e pela vice presidente de articulação política da Assespro, Leticia Batistela.

Letícia é também advogada com especialização na área de tecnologia e foi presidente da Assespro-RS.

O objetivo do conselho é apoiar a entidade em questões jurídicas controversas, especialmente tributárias e trabalhistas, bem como gerar, debater e discutir medidas legais e estratégicas que visem avançar no marco regulatório do segmento de tecnologia e inovação.

“O conselho, não terá apenas a função representativa, mas também de gerar conteúdo jurídico preciso, inovador e que represente de forma efetiva o crescimento de nosso setor”, explica Letícia.

Ayres Britto é o patrono da iniciativa e deverá participar das reuniões do conselho.

É um cacife e tanto para a Assespro. Ayres Britto foi ministro do STF de 2003 a 2012, tendo sido presidente daquela corte e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em 2012.

Depois de deixar o STF, Ayres Britto tornou-se presidente da Comissão Especial de Defesa da Liberdade de Expressão da OAB e voltou a advogar, abrindo um escritório em Brasília.

O atual presidente do STF, Dias Toffoli, esteve no lançamento do Conselho de Inteligência Jurídica, mostrando que a participação de Britto já rende frutos.

Veja também

PRIORIDADES
Candidatos dão bolo no setor de TI

Os principais candidatos à presidência não compareceram ao evento Brasil 2022.

BASTIDORES
Vem aí o fim da Justiça Trabalhista?

Central de boatos em Brasília está a mil.

MOBILIZAÇÃO
TI faz frente pelo Rio de Janeiro

Empresas de TI de peso estão bancando programa de formação de mão de obra.

JUSTIÇA
TI tem ação contra ICMS para software

Associações do setor questionam a bitributação de softwares pelo novo ICMS e pelo ISS.

PORTO ALEGRE
Entidades querem fundo de TI

O fundo que as entidades querem está previsto desde 2013 na Lei de Inovação de Porto Alegre.

PERNAMBUCO
CMTech busca startups

O CMTech Labs tem foco em smart cities, IoT, smart energy, logística de entrega de serviços e outros.

CIDADES
Porto Alegre na justiça pelas PPPs

O alvo inicial é viabilizar uma PPP para a área de saneamento básico.

DECISÃO
Justiça vê vínculo empregatício no Uber

Juiz de Belo Horizonte reconheceu o vínculo entre um motorista e o aplicativo.