"Leave me alone, I know what I’m doing" Foto: flickr.com/photos/flamesworddragon

Tamanho da fonte: -A+A

A Lotus escolheu o Microsoft Dynamics 2012 AX R2 para ser seu ERP. A equipe conta com aproximadamente 540 pessoas que trabalham no Campeonato Mundial de Fórmula 1.

Para fazer a escolha, a escuderia analisou 30 plataformas, guiando-se pelo Quadrante Mágico do Gartner.

A mudança partiu da necessidade de otimizar a circulação de dados. Conforme a empresa, os executivos perceberam que é fundamental entregar dados qualificados aos engenheiros para a decisão da melhor estratégia para cada situação.

A Lotus acredita que a ferramenta auxilia na escolha dos materiais para a fabricação, das peças que devem ser compradas e, consequentemente, no impacto de cada decisão no orçamento.

A necessidade de mover os dados para nuvem veio do fato de 40% do time ficar fisicamente fora da fábrica da Lotus e precisarem acessar dados da matriz com atualizações em tempo real.

Conforme o Diretor de IT/IS da Equipe Lotus de F1, Greame Hackland, o Microsoft Dynamics pode fornecer informações rapidamente, o que faz com que o desenvolvessem do veículo aconteça com mais agilidade e eficiência.

“Um dos problemas anteriormente enfrentados surgia quando a equipe de aerodinâmica terminava seus testes e os enviava para a o design, que, por sua vez, enviava o trabalho à manufatura”, diz Hackland.

Baseada em Oxfordshire, Inglaterra, a Equipe Lotus viaja para aproximadamente 20 corridas todos os anos, cada corrida com público médio de 800 milhões de telespectadores.

Em 2010, foi anunciada a compra de parte da equipe Renault F1 pelo Grupo Lotus. Nesta temporada, a equipe conquistou o terceiro lugar no mundial de pilotos com o finlandês Kimi Raikkonen. Na classificação dos construtores, a Lotus obteve a quarta colocação.