Rodrigo Castro, diretor da Teevo DC. Foto: divulgação

Tamanho da fonte: -A+A

A gaúcha Teevo acaba de lançar uma unidade de negócios focada em data center e cloud computing para grandes empresas, para a qual abriu um novo data center em Curitiba com capacidade para mais de 4 mil servidores.e transferiu para Porto Alegre a estrutura que já mantinha em Caxias do Sul.

Batizada de Teevo DC, a divisão é uma aposta para ampliar em 140% até o fim de 2013 a carteira de contratos nesta área, que hoje somam cerca de 160 nas áreas financeira, de varejo, industrial e outras, incluindo nomes como Via Inox, Ducati, Nexo e Grupo Dass (que representa no Brasil marcas como Adidas, Fila, Umbro e TryOn).

“Os negócios desta divisão tendem a se tornar o principal vetor dos negócios da Teevo no médio prazo”, explica Rodrigo Castro, que com a criação da unidade DC passou de diretor de Negócios da Teevo para diretor Executivo da nova divisão.

Segundo ele, a operação não concorre com fornecedores que fazem oferta varejista de serviços de data center, como hospedagem de sites, colocation e afins, como Locaweb e Kinghost.

“Temos foco em grandes contas, que querem colocar um site contingente ou colocar toda sua estrutura em nuvem para atender a grandes redes de filiais. Nosso ticket médio de data center fica em no mínimo R$ 4 mil”, afirma o diretor.

A cloud computing reforça o portfólio da Teevo DC, com ofertas que chegam ao mercado esta semana.

Uma das soluções em nuvem será o compliance de software, voltada, por exemplo, a usuários de ERP que queiram acompanhar e obetr relatórios de utilização e conformidade do software com as recomendações do fabricante.

Outra novidade é para inventário de software, que permitirá acompanhar ferramentas e o uso das mesmas em estruturas empresariais dispersas, como filiais ou unidades.

Outra oferta de compliance é na área de segurança da informação, isentando os compradores de gastos com licença de soluções, treinamentos, criação de políticas internas, entre outros.

Para dar respaldo à oferta, a Teevo DC se reforça junto aos parceiros.

A HP é um dos principais da lista, e em outubro passado a companhia gaúcha recebeu da multi o  título de Centro de Excelência em Cloud Computing para o data center de Porto Alegre.

“Somos os únicos a deter esta titulação no Rio Grande do Sul. E a meta é tê-la também em Curitiba nos primeiros meses do ano que vem”, comenta Castro.

Recentemente, a empresa recebeu também o certificado Trend Ready, para oferta de soluções de segurança em cloud, da Trend Micro.

Na capital paranaense, a Teevo já tem escritório desde abril deste ano, resultado de uma joint venture com a Guaíba, canal HP sediado na cidade.

Desde então, a projeção é de que o faturamento só na operação local aumente 60% até o final de 2012, chegando em R$ 10 milhões.

Para o geral dos negócios, a previsão de faturamento leva em conta a recém lançada Teevo DC e a Teevo Comercial, operação guarda-chuva inicial que resultou da fusão, em 2011, da Abyz TI, MI Informática e SK Tecnologia.

Juntas, as três empresas fusionadas faturaram em torno de R$ 45 milhões em 2011. Sob a marca Teevo, a meta é ampliar este total em cerca de 90% em 2012.

Resultado que poderá variar, segundo Castro, em função de movimentações de mercado.

“Projetávamos fazer mais compras do que conseguimos este ano. O mercado não está vendedor”, avalia ele.

Estruturada com uma equipe geral de 140 colaboradores, a Teevo tem undiades em Porto Alegre, Caxias do Sul, Passo Fundo, Curitiba e Novo Hamburgo.

Nesta última, tem seu “quartel general de mão de obra”, segundo Castro.

“Mantemos convênios com universidades e instituições de ensino técnico, como Feevale, Unisinos, Senai-RS e Fundação Liberato Salzano Vieira da Cunha, para formação de mão de obra especializada. Fazemos muitas contratações neste universo”, conta o diretor executivo.

Hoje, o time de serviços da Teevo, incluindo equipe de gestão de data center da Teevo DC, fica em Novo Hamburgo.

No ano que vem, possivelmente a operação se amplie, já que a empresa estuda instalar um time de serviços em Curitiba.

“Isso será porta de entrada para o interior de São Paulo. Hoje, atendemos a vários clientes do Sudeste, mas ainda é pouco perto do potencial deste mercado”, projeta Castro.

Outro projeto para o ano que vem é o recebimento de um aporte de capital.

Por hora, o diretor prefere não revelar quem será o concessor, nem valores, afirmando apenas que a previsão é concluir a transação no primeiro semestre de 2013.