TIM cria lojas escola para treinar atendentes. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

Visando melhorar a qualidade do atendimento em seus pontos de venda, a TIM inaugurou em Porto Alegre uma das sete unidades da Loja Escola, centro de treinamento que simula lojas da operadora.

A loja fica no escritório da empresa na capital gaúcha, no bairro Passo D'Areia. Trata-se de uma réplica da loja própria e servirá para treinamentos, apresentação de aparelhos e demais noções de venda para novos vendedores de lojas próprias ou revendas da TIM.

O local conta com cursos de degustação de aparelhos, navegação nos sistemas, teatro de vendas e reconhecimento das áreas e do fluxo de atendimento nas unidades.

De acordo com a operadora, a iniciativa a iniciativa promove a vivência de situações próximas da realidade diária. No entanto, ela não é aberta ao público.

Os treinamentos são aplicados pala área de treinamentos da TIM e também poderá ocorrer parcerias com fornecedores de aparelhos, por exemplo, quando houver lançamentos.

Os treinamentos são realizados a cada novo grupo de funcionários admitidos.

Com investimento de R$ 1 milhão, as lojas escola também foram instaladas nas regionais da TIM em São Paulo, Brasília, Curitiba, Rio de Janeiro, Recife e Belém.

A expectativa é de que os 2 mil colaboradores de lojas próprias da empresa passem por treinamentos periódicos nas unidades.

ATENDIMENTO
O gasto com treinamento é uma investida da TIM para melhorar a sua imagem com o consumidor, devido ao aumento da desconfiança do consumidor em relação às operadoras, observada pela TIM em pesquisas.

A forte interferência e as sanções da Anatel, devido ao baixo padrão de qualidade das operadoras em seu serviço foi um dos fatores que minaram as operadoras.

A TIM foi uma das que mais sofreram com o cerco da agência reguladora. A operadora teve suas vendas suspensas em 18 estados em julho do ano passado.

Outra iniciativa da operadora foi a criação de um portal de prestação de conta aos clientes, o Portas Abertas, que dará aos clientes a chance de consultar como está o sinal em sua área.

Até 2015, a empresa pretende investir R$ 10,7 bilhões no Brasil, cerca de 12,6% a mais do que o valor previsto para o triênio de 2012 a 2014.

O plano da companhia é aumentar a sua base de clientes em 28%, chegando a 90 milhões de usuários.