SÃO PAULO

Empresas vão testar funcionários para retomada

28/04/2020 09:17

De acordo com o Uol, pelo menos 25 companhias já contrataram testes de imunidade ao coronavírus.

Comunidade científica ainda não sabe exatamente como o corpo humano se comporta após a recuperação. Foto: Pexels.

Tamanho da fonte: -A+A

Pelo menos 25 empresas de São Paulo compraram testes de imunidade ao coronavírus para determinar quais funcionários voltarão a trabalhar presencialmente. 

De acordo com o site Uol, as companhias partem do pressuposto de que quem já se infectou pelo novo coronavírus não pegaria a doença novamente. 

A matéria não revela quais são as empresas de médio e de grande porte, que inclusive já teriam entrado em contato com laboratórios para a realização dos testes.

Até agora, somente o Santander falou publicamente sobre o assunto, em uma live no começo de abril. O banco pretende testar funcionários de cargos de direção e gerência para que eles possam voltar a trabalhar presencialmente.

"Para as empresas que têm condições de fazer isso, é excelente. Ajuda a saber quantas pessoas deste ambiente de trabalho estariam contaminadas, saber quem deve se manter afastado ou não", afirmou Jean Gorinchteyn, médico do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, ao Uol.

A Organização Mundial de Saúde (OMS), no entanto, alertou que essa imunidade é provável, mas não certa. 

Por se tratar de um vírus novo, a comunidade científica ainda não sabe exatamente como o corpo humano se comporta após a recuperação.  

A imunidade ao coronavírus pode funcionar como a do sarampo, que dura a vida inteira, ou como a da gripe comum, que dura cerca de dez meses. 

No último final de semana, a OMS criticou países que pretendem lançar os chamados passaportes de imunidade, documentos emitidos por médicos que autorizariam curados a circular sem restrições. 

Ainda de acordo com a publicação, a organização afirmou que é esperado que a maioria das pessoas infectadas pelo coronavírus desenvolva anticorpos que dêem algum tipo de proteção contra a doença.

"O que ainda não sabemos é qual o nível de proteção ou por quanto tempo ele durará", escreveu a organização em comunicado. 

Na última semana, a Coreia do Sul anunciou que mais de 180 pessoas voltaram a testar positivo para a covid-19 mesmo após terem se recuperado da doença. 

Segundo o Centro para Controle e Prevenção de Doenças do país (KCDC), os casos de recaída testados "têm pouca ou nenhuma transmissibilidade", ou seja, não representam risco de transmitir o coronavírus a outras pessoas.

Veja também

CONEXÃO
Estácio incentiva aulas com internet da TIM

Os mais de 570 mil alunos terão acesso a oferta de 4.5G por três meses durante o distanciamento social.

OMNICHANNEL
Via Varejo já está vendendo 70% do que vendia

Resultado está sendo obtido mesmo com 80% das lojas fechadas. Segredo é o CRM.

INOVAÇÃO
Principais vantagens dos projetos SAP entregues à distância

Integrate já tem experiência na entrega de projetos de B1 feitos remotamente.

COVID-19
IBM rastreia funcionários na Índia

Empresa está testando um aplicativo de adesão voluntária que deve coletar dados por 16 dias.

CRISE
Empresários criam fundo de empréstimo para PMEs

Estímulo 2020 já conta com pelo menos 17 comprometidos a colaborar com R$ 20 milhões.

SAÚDE
Oswaldo Cruz terá hub de pesquisa com Cisco

Acordo de colaboração também prevê soluções em telemedicina, consultoria e curso de cibersegurança.

TRANSFORMAÇÃO
A Indústria calçadista precisa de transformação digital

Agora o cenário de lojas fechadas traz uma reflexão para muita gente deste meio: por que não investi no meu omnichannel? 

SAÚDE
Hospital de Clínicas usa aplicativo da uMov.me

Com 2 mil licenças doadas, solução será usada para triagem de pacientes com suspeita de Covid-19.

NUVEM
Ministério da Saúde migra para AWS com Embratel

Projeto faz parte de mega licitação vencida pela empresa de telecom.

REAÇÃO
Arezzo vira case na crise com tecnologia

Companhia acelerou muito as vendas online dobrando o volume de vendas em dois meses.