Divulgação, apr77/Flickr

Tamanho da fonte: -A+A

As companhias aéreas Azul e Trip devem fundir suas operações nessa segunda-feira, 28.

Com o negócio, cujos detalhes não foram revelados pelas empresas, a Azul terá cerca de 15% de participação nos voos domésticos, contra 38% da TAM e 34,4% da Gol.

Segundo publica o jornal O Globo, que noticiou a operação, Armínio Fraga, da Gávea Investimentos, a Companhia Bozano e a Embraer estariam por trás da operação. A Azul deverá ficar com 80% da nova empresa.

Os três acionistas da Trip (grupos Capriolli, Águia Branca e SkyWest) dividem a fatia restante.

Com a operação, a Azul passa a ter 104 aviões, sendo 49 da atual empresa e 58 provenientes da Trip, diz  a Veja. O nome Trip deve deixar de existir e a equipe de Campinas deve ir para Barueri.

O presidente da Trip, José Mário Caprioli, deve ganhar um assento no conselho administrativo da Azul, que reúne o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles e executivos da empresa, além de representantes dos fundos de investimento da companhia.

Fundada no final de 2008, a Azul foi criada pelo norte-americano David Neeleman, que também foi o fundador da companhia JetBlue, dos Estados Unidos.

Em dezembro de 2011, a empresa já detinha 9,77% de participação no mercado brasileiro – com a terceira colocação entre as companhias aéreas do país.

As fatias estão dentro dos planos da Azul, que previa chegar aos 10% em 2011 e aos 13% em 2013, servindo os 25 maiores centros metropolitanos do Brasil.

A Azul é a empresa aérea que mais rapidamente chegou a 1 milhão de clientes transportados no mundo. O volume foi atingido com menos de oito meses de operações, no dia 13 de agosto de 2009.

O recorde anterior pertencia à JetBlue Airways, que chegou à marca com 10 meses de atividade.