A Universidade Regional de Blumenau (Furb) suspendeu 15 cursos de graduação. Foto: Divulgação.

A Universidade Regional de Blumenau (Furb) suspendeu as inscrições para 15 cursos de graduação que teriam aulas a partir de agosto.

Entre os cursos suspensos estão engenharia de telecomunicações, engenharia elétrica e sistemas de informação.

O Jornal de Blumenau divulgou a informação a partir do Sindicato dos Servidores Públicos do Ensino Superior de Blumenau (Sinsepes).

O sindicato relata que o motivo do cancelamento da abertura de novas turmas foi o número de inscritos, que teria sido inferior ao número de vagas ofertadas. 

Segundo o Sinsepes, não está descartada a hipótese de outros cancelamentos, pois a decisão depende da demanda de interesse.

De acordo com o Sindicato, a decisão foi tomada pela Pró-Reitoria de Ensino de Graduação, Ensino Médio e Profissionalizante da Furb. 

A determinação, entretanto, aconteceu um mês antes do prazo destinado ao fim das matrículas para calouros, que terminariam em 12 de agosto, e teria desagradado coordenadores dos cursos afetados.

Em entrevista ao Jornal de Blumenau, Mauro Scharf, relatou que o cancelamento foi uma decisão tomada em nível de colegiado. 

“Após termos a relação de alunos matriculados em cada curso, avaliamos que havia cursos que, mesmo com todos os candidatos sendo chamados, não atingiam o número de vagas oferecidas na turma.”

Entre os cursos cancelados, alguns estavam com menos de três alunos matriculados. O curso de química, por exemplo, não havia nenhuma vaga preenchida.

“Após termos a relação de alunos matriculados em cada curso, avaliamos que havia cursos que, mesmo com todos os candidatos sendo chamados, não atingiam o número de vagas oferecidas na turma”, explica.

Para ele, a diminuição do número de inscritos é uma consequência da situação econômica em nível estadual e nacional.

“A maioria das instituições da região e até do Brasil passam por isso”, completa.

Segundo um levantamento da Zero Hora, a situação se repete no Rio Grande do Sul, onde 50% das instituições tiveram queda de mais de 10% no número de ingressantes no primeiro semestre deste ano.

De acordo com pesquisa, apenas um terço das faculdades manteve a mesma quantidade de novos alunos que em 2015.

Além disso, manter os alunos não tem significado que o cenário é igual ao do ano anterior. Em 55,6% das instituições, os alunos contrataram menos créditos no início de 2016 que no primeiro semestre do ano passado. Em 27,8% delas, a redução passa de 10%.

A 10ª Pesquisa de Inadimplência realizada pelo Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior (Semesp) com as instituições de ensino superior privadas também apontou que a inadimplência aumentou em todo o Brasil e também no estado de São Paulo, registrando 8,8% para as mensalidades com atraso acima de 90 dias em ambos. 

A inadimplência do setor de educação superior privada permanece acima da inadimplência total das pessoas físicas. O levantamento, que engloba o ano de 2015 mostram um índice de inadimplência de 8,8% para o setor, contra 6,2% do índice geral considerando todos os setores.

 

A lista completa de matrículas suspensas na Furg conta com 15 cursos:

Administração (matutino)

Educação Física - bacharelado e licenciatura (matutino)

Engenharia de Telecomunicações (matutino)

Engenharia Elétrica (matutino)

Farmácia (matutino)

Jornalismo (matutino)

Design (noturno)

Engenharia de Telecomunicações (noturno)

Moda (noturno)

Química - bacharelado e licenciatura (noturno)

Tecnologia em Comércio Exterior (noturno)

Ciências Econômicas (noturno)

Engenharia de Alimentos (noturno)

Engenharia Florestal (noturno)

Sistemas de Informação (noturno)