Bertolino Almeida. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Minas Mais, operadora de telecom que fornece conexão de fibra para provedores locais no atacado, aposta na região sul para impulsionar seus negócios. O plano é que os três estados sejam responsáveis por 25% do consumo de banda da empresa até o final do ano.

A empresa iniciou suas atividades nos três estados da região no início de 2014, e até agora conta com cerca de 20 locais de entrega, passando por cidades como Blumenau, Xanxerê, Palhoça, indo até Gravataí, no Rio Grande do Sul.

Segundo Bertolino Almeida, CEO da Minas Mais, o plano com a expansão de atuação da empresa deve reforçar o crescimento da companhia, que no primeiro semestre do ano já teve um ganho de 140% em relação ao mesmo período em 2013.

Com isso, a operadora de banda larga, com sede em Delfinópolis, sul de Minas Gerais, prevê duplicar seu faturamento neste segundo semestre, fechando o ano com mais de 200% de crescimento.

"Atualmente contamos com uma rede de 16 mil quilômetros de fibra ótica, que percorre 276 municípios de 18 estados brasileiros - inclusive oito capitais –-, das regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste. A ideia é alcançar todo o país", observa o CEO.

Para a região sul, a expectativa da companhia é grande. Para distribuir seus cabos de fibra pelo estado, a empresa optou por redes compartilhadas com a Eletrosul, ao longo dos cabos de alta tensão, com cabos ópticos de alta tensão (OPGW).

“Em Minas a parceria é com a Eletronet e já estamos atendendo os provedores da região. Pretendemos em 2015 chegar ao estado do Espirito Santo", informa Almeida.

Embora também entregue seu serviço em cidades grandes, Almeida aponta os provedores de interior como os focos principais para o fornecimento de seus serviços.

“A demanda por banda larga hoje é muito grande. Ninguém mais aceita trabalhar com internet lenta. As pessoas querem mais velocidade e atendimento melhor, onde as grandes operadoras estão deixando a desejar", diz Almeida.

Para aumentar sua competitividade no sul e também em outras regiões do país onde já está presente, como nordeste e sudeste, o empresário destaca a estratégia de aquisição de concorrentes.

Em maio, a Minas Mais adquiriu a carteira de clientes e ativos de rede de quatro empresas, incluindo a Unotel, a maior e que foi a última, comprada por R$ 30 milhões.

"Mais uma aquisição está em negociação e deve ser concretizada ainda este ano", anuncia o CEO da empresa.

Fundada em 2001, a operadora entrou no mercado como provedora de internet, vendendo banda larga no varejo. Em 2006, passou a atuar somente no atacado, como operadora de telecom independente.

“Estamos atentos a novas aquisições com o objetivo de consolidar a Minas Mais Telecom como a maior operadora independente do país já no próximo ano”, conclui o CEO da Minas Mais.