Automação robótica de processos está em alta. Foto: www.flickr.com/photos/maitreyoda/

O mercado de software de automação de processos robóticos (RPA, na sigla em inglês) deve crescer de maneira acelerada nos próximos anos.

De acordo com previsões do Gartner, a receita global com projetos de RPA deve chegar a US$ 1,58 bilhão em 2020, um aumento de 11,9% em relação a 2019. 

Para o ano que vem, está previsto um salto ainda maior, de 19,5%, para um valor total de US$ 1,89 bilhão. O crescimento na casa dos dois dígitos deve continuar pelo menos até 2024, acredita o Gartner.

O mercado de RPA levou um empurrãozinho da pandemia do coronavírus, uma vez que os projetos com a tecnologia visam automatizar tarefas, reduzindo assim custos com mão de obra.

Um sistema de RPA funciona diferente de uma ferramenta de automação de workflow na medida em que o sistema "aprende" a executar a tarefa copiando os movimentos do usuário na interface gráfica.

Assim, o software pode aprender como receber um e-mail com uma fatura, copiar certos dados e depois digitar eles em um sistema.

Na Atento, por exemplo, um projeto piloto com tecnologia de RPA conseguiu reduzir o tempo médio de ocupação (TMO, um indicador importante no mercado de contact center) de cada agente em até 25%.

De acordo com o Gartner, 90% das grandes empresas terão adotado alguma automação para tarefas repetitivas por meio de software até 2022, como validação cadastral, transferência de informações em grande escala e integração de sistemas. 

Um dado interessante da pesquisa do Gartner é que o aumento geral do faturamento com RPA se dará ao mesmo tempo em que os preços médios dos projetos cairão entre 10% a 15%, devido à competição no mercado.

Até 2024, as grandes organizações triplicarão a capacidade de seus portfólios RPA existentes. 

A maior parte dos gastos “novos” virá de grandes organizações que estão adquirindo capacidade adicional de seu fornecedor original ou parceiros dentro do ecossistema, o que pode ser um fator adicional de redução de custos.

O mercado brasileiro de RPA tem chamado a atenção das grandes do setor.

Fundada em 2005 na Romênia, a UiPath é uma das empresas mais badaladas no segmento de RPA. A empresa abriu recentemente um escritório em São Paulo e em 2019 organizou seu primeiro evento no Brasil.

Empresas brasileiras de RPA, por sua vez, estão chamando atenção fora do país.

Em julho, a IBM fechou a compra da WDG Automation, uma empresa de São José do Rio Preto, no interior de São Paulo, especializada em RPA.

A WDG tem 84 funcionários com perfis no Linkedin e lista em seu sites clientes como Rodobens, OAB e TIM, além de parcerias com Deloitte e Accenture. É um acontecimento bastante raro uma das gigantes de TI mundiais comprar uma empresa brasileira desse porte.