Jean, André e Gilson, sócios da Lincros. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Sequoia, companhia focada em entregas expressas e soluções de logística reversa, investiu R$ 38 milhões em 41% das ações da Lincros, startup catarinense voltada para o mesmo segmento.

Segundo o site Economia SC, a empresa foi assessorada pelos advisors JPrayon & Partners Brasil, também de Blumenau, e pela Stark Capital, que auxiliou nos acordos com acionistas minoritários da companhia.

A Lincros foi fundada em 2012 em Blumenau, Santa Catarina, e monitora mais de 20 mil veículos que circulam pelo país, com mais de R$ 1,7 bilhões em conta frete passando por soluções da empresa.

A logtech possui cerca de 164 clientes, com foco em embarcadores de diversas indústrias, e mais de 100 colaboradores.

Somente este ano, a empresa teria emitido cerca de 18 milhões de notas fiscais, que corresponderam a 650 mil viagens, e tem faturamento anual projetado de R$ 23 milhões.

Com o aporte, a Lincros pretende impulsionar investimentos em pessoas e em tecnologia, além de potencializar a interação com os principais ERPs do mercado, acelerar a conectividade com plataformas de e-commerce e fornecer soluções para marketplaces de fretes.

“A decisão fortalece a nossa presença nos setores de varejo e e-commerce, potencializando nossas soluções e a integração com outros sistemas de gestão do mercado, com o objetivo de triplicar nossa presença até 2023”, afirmou Gilson Chequeto, diretor executivo da Lincros, ao Economia SC.

A empresa pretende triplicar seu faturamento nos próximos três anos, além de aumentar o número de clientes e colaboradores.

Segundo André Luiz Jacinto, diretor comercial e de marketing e cofundador da Lincros, a colaboração entre as duas companhias irá acelerar o ritmo de crescimento da logitech.

“A sinergia com a Sequoia traz a expertise que precisamos para nos consolidarmos como principal solução para logística de transportes do Brasil e reforça nosso posicionamento no segmento de inovação para a logística, apoiando nossa aproximação e relacionamento com os clientes”, explicou Jacinto à publicação.

Já a Sequoia afirmou que busca criar um “marketplace completo de soluções logísticas para empresas brasileiras”, fortalecendo a presença de mercado das duas marcas.

Sediada em São Paulo, a Sequoia faz logística integrada, fornecendo serviços de armazenagem, execução e transportes. A empresa é controlada pelo fundo americano Warburg Pincus desde 2014 e vem investindo em aquisições para consolidar o mercado.