Usuários da SAP durante o último evento mundial da empresa. Foto: divulgação.

Os clientes SAP tem medo que adoção do novo portfólio de tecnologias Leonardo da SAP vá implicar na cobrança de “licenças indiretas” por conexão com dados armazenados em sistemas da multinacional.

A preocupação foi apontada por 58% dos respondentes de uma pesquisa feita com 400 integrantes do Grupo de Usuários SAP no Reino Unido e Irlanda, segundo relata o The Register.

O tema surgiu no começo do ano, quando a SAP cobrou £54,4 milhões da Diageo depois que a empresa de bebidas instalou sistemas da Salesforce que acessavam dados indiretamente.

Depois do barulho causado pela notícia, a SAP prometeu simplificar suas regras de licenciamento, com novos termos criados para as regras de licenciamento responsáveis por 80% dos problemas de compliance (Order to Cash, Procure to Pay e Static, em inglês).

Mesmo assim, a pesquisa aponta que 79% ainda acham os termos de licenciamento complicados demais, o que é um complicador para o Leonardo, um pacote de soluções da SAP para todas as tendências tecnológicas da moda, incluindo Internet of Things, machine learning e blockchain.

Só 2% dos respondentes disseram ter planos de usar o Leonardo em seus  planos de IoT e machine learning. Para piorar as coisas, 43% disseram não saber do que se trata o Leonardo, sobre o qual a SAP vem falando em qualquer oportunidade disponível desde maio.

O complicador na questão da licenciamento é o medo dos clientes de procurarem a SAP para esclarecer a sua situação e ser cobrado retroativamente.

A SAP lançou recentemente um “centro de transparência” no qual é possível fazer consultas anônimas, mas, de acordo com o grupo de usuários, ele não tem sido de muita ajuda, uma vez que só é possível obter respostas “genéricas”.