Uma marca poderosa faz a diferença. Foto: Pexels.

O caminho para a criação de uma boa logomarca pode ser longo e tortuoso. 

Tradicionalmente, tudo começa pela criação do conceito – que naturalmente deve ter como base o produto do serviço prestado pela empresa. 

A contratação de um profissional experiente ou de uma empresa de marketing é altamente recomendável. Não deixe seu sobrinho fazer sua marca de graça para você. 

Se você, leitor, é o empreendedor que criou o produto, deu o nome e “apenas” quer uma marca, uma dica: não se meta demais no processo de criação dos profissionais que você está pagando para fazer esse serviço. 

É claro que a palavra final é sua e se a criação apresentada não lhe for do seu agrado, você tem direito de mandar fazer tudo de novo. Mas pense com calma e não reaja com emoção. 

Como profissional de marketing, eu já estive em ambos os lados. Tanto contratei como fui contratado para criar marcas. 

E o que vi e experimentei é que, na grande maioria das vezes, os designers e profissionais de marketing conseguem traduzir melhor o conceito em símbolo. Melhor do que o empreendedor. 

O empreendedor normalmente cria uma imagem mental daquilo que ele quer ver na marca, mas nem sempre o coração do dono da empresa é a melhor baliza para o mercado. Portanto, escolha bem uma equipe, contrate-a e confie. 

Mas existem outros caminhos para a criação de logotipos para quem não tem tempo a perder. A inteligência artificial, que surge como a panacéia para todos os males dos dias atuais, tem ajudado até mesmo no ramo de trabalhos criativos. 

Uma série de startups surgiram na última década para resolver esta dor. Se antes, criar uma logo e construir um bom website era uma tarefa custosa e demorada, hoje existe, por exemplo, a Wix, a mais conhecida das startups do gênero, que permite tanto criar um logo como fazer um site com facilidade. 

A Wix surgiu em 2006 a partir da conclusão de que programar HTML, PHP e Javascript não é para qualquer um. Mesmo a contratação de webdesigners costuma ser uma experiência desgastante. Quem nunca ficou pendurado pelo prazo de entrega estourado por parte do fornecedor? 

Empresas como a Wix providenciam um pacote completo. Do registro do domínio até a criação de logotipo auxiliada por inteligência artificial. 

O mais bacana é que, no processo, os direitos de marca são automaticamente registrados para o cliente (no caso da Wix). Bastam alguns cliques. 

Símbolos gráficos existem há muito tempo. O exército romano tinha seu símbolo, assim como a armada persa. Mesmo historiadores experientes têm dificuldade determinar qual foi a primeira logomarca. 

Animais de rebanhos primitivos já eram marcados com o símbolo de seu criador muito antes de Nero prender fogo em Roma – se é que foi ele, de fato. Mas sabemos com precisão a data do primeiro trademark da história. Foi no primeiro dia do ano de 1876.

A cervejaria Bass era líder de mercado no Reino Unido em 1875, época da Segunda Revolução Industrial. Neste ano, a Câmara do Lordes aprovou uma nova lei que protegeria as marcas registradas a partir de primeiro de janeiro de 1876. Para a Bass Brewery, essa era uma pauta da maior relevância. 

Reza a lenda que o empregado responsável por esta função dentro da empresa madrugou na virada do ano novo na fila para garantir que a preciosa marca construída ao longo das nove décadas anteriores não fosse por  água abaixo pelas mãos de algum oportunista de plantão. 

O cauto registro valeu a pena. O inconfundível triângulo vermelho da Bass ganhou o mundo e dois anos após garantir seu trade mark, a cervejaria será a número um do mundo. 

A companhia expandiu suas atividades com sucesso até meados dos anos 60 até ser comprada por outros grupos econômicos, já no alvorecer do século XXI.

O final dos anos 80 e 90 do século XX foi fértil em criação de marcas longevas. Foi neste período que surgiram a Kodak e a Kellogg

Mas só o registro em cartório não garante o sucesso de uma marca. Muitas vezes, o reconhecimento pode vir antes do registro, inclusive. 

É lugar comum a frase que diz não haver receita pronta para a criação de uma boa logomarca. 

Tudo depende daquilo que ela irá representar. Em alguns casos, a cor azul pode ser melhor que a verde, o lilás melhor que o rosa. Mas é possível identificar alguns pontos convergentes em marcas bem reconhecidas. 

As logomarcas, via de regra, passam por atualizações ao longo do tempo e agora, enfrentam um desafio redobrado na era digital

O que salta aos olhos é que, na imensa maioria das vezes, os elementos gráficos das marcas se tornam menos complexos. Por exemplo, o próprio símbolo da Bass Brewery possuía diversos elementos quando foi registrado pela primeira vez. Mais tarde, restou apenas o que importa: o triângulo, a cor, a caligrafia e o nome. 

Essa parece ser a regra de ouro que todo empreendedor deve observar ao encomendar a criação do símbolo que irá representar sua firma.