O Banco da Amazônia instalou kits de tecnologia anti-skimming desenvolvidos pela Perto. Foto: Divulgação.

O Banco da Amazônia instalou kits de tecnologia anti-skimming desenvolvidos pela Perto com o objetivo de aumentar a segurança e evitar fraudes nos caixas eletrônicos. O projeto foi feito em 157 ATMs da organização.

A tecnologia da Perto possui sensores especiais que detectam a presença de quaisquer dispositivos sobrepostos no painel do ATM. Estes dispositivos maliciosos são colocados por fraudadores e o sistema, ao identificá-los, retira o equipamento de funcionamento e impede a fraude.

Com tecnologia brasileira e três décadas de história, a Perto atua no mercado com soluções de hardware, software e serviços para bancos e varejo. A empresa possui uma planta industrial com mais de 44 mil metros quadrados em Gravataí, no Rio Grande do Sul, e escritórios em 22 cidades. 

Em 2016, a Perto ainda irá inaugurar sua fábrica em Jaipur, na Índia. A estrutura industrial permite à empresa oferecer soluções como terminais de autoatendimento bancário (ATMs), terminais de pagamento de estacionamento, terminais de venda de créditos em transporte urbano, cofres inteligentes, POS, impressoras térmicas e sistema de gestão de filas. 

A Perto faz parte do Grupo Digicon, que desenvolve também soluções em hardware, software e serviços para controle de acesso, controle de tráfego, estacionamento, controle de ponto e componentes aeronáuticos.

O Banco da Amazônia está presente nos estados do Pará, Tocantins, Maranhão, Rondônia, Amazonas, Mato Grosso, Acre, Amapá e Roraima. Também conhecido como Basa, ele é um banco comercial de economia mista, organizado sob a forma de sociedade anônima de capital aberto que tem o Governo Federal Brasileiro como maior acionista. 

O banco foi fundado durante a II Guerra Mundial por Getúlio Vargas, com o nome de Banco de Crédito da Borracha. Inicialmente, seu objetivo era reativar a atividade seringueira, em declínio desde a I Guerra Mundial na Amazônia.