Marcel Campos. Foto: divulgação.

Se 2014 foi um bom ano para a Asus, com a entrada dos primeiros Zenfones no Brasil, 2015 foi um período de consolidação com o Zenfone 2. Para o início de 2016, a empresa taiwanesa mira mais alto com seu novo telefone, o Zenfone Zoom. Com um foco especial na fotografia, o aparelho é o modelo mais premium já apresentado pela marca, de olho na competição com marcas desta faixa, como Samsung e Apple.

Para fazer a apresentação de seu mais novo aparelho, assim como outros produtos para o primeiro semestre, a companhia fez a segunda edição do Asus OnBoard, evento para jornalistas e influenciadores a bordo de um navio na costa brasileira.

O Zenfone Zoom apresenta um hardware semelhante ao do Zenfone 2, com 4GB de RAM baseados num chip Intel Atom x86, com variações de processamento em 2.33Ghz e 2.5Ghz.

O chamariz do produto é sua câmera traseira de 13 megapixels, que conta com zoom óptico de 3x, podendo chegar até 12x no zoom digital. A frontal é a mesma do Zenfone 2, com 5MP.

Segundo Marcel Campos, diretor de marketing da Asus na América Latina, o produto mira usuários que usam seu telefone para capturar imagens mais artísticas e elaboradas, mas também aqueles que desejam ter um telefone premium em uma faixa abaixo dos R$ 4 mil, onde aparelhos como Iphone 6s e Samsung S7 figuram.

O aparelho com memória de 64GB é comercializado por R$ 2,699 e o de 128GB sai por R$ 3,299.

"Sabemos que não somos os pioneiros ao propor um telefone assim, mas creio que seremos os primeiros a tornar isso viável", afirmou Campos, cutucando exemplos passados de empresas que quiseram fazer celulares híbridos com câmeras, como fez a Samsung com o Galaxy Camera, um fracasso de vendas.

Por falar em fracasso, Campos confia nos números ao apostar em uma faixa de preço bem acima do que fez o Zenfone 2 ser um sucesso. Lançado em outubro do ano passado, em uma faixa de preço na casa dos R$ 1,5 mil, o aparelho somou mais de 28 milhões de unidades vendidas no mundo todo e 1,5 milhão no Brasil.

"O Brasil é o quinto lugar em vendas globais para a Asus, mas é o único país do mundo a ter mais de 40% dessas vendas no portfólio high-end. Em outros mercado, esse percentual fica na casa dos 15%", explicou o executivo.

Para o diretor de marketing, competir na faixa dos R$ 3 mil é um desafio arriscado no atual cenário econômico, mas foi um desafio aceito pela matriz da empresa em Taiwan.

"No início, estava receoso se trazer um aparelho de valor elevado como o Zoom poderia vingar no país atualmente, visto que o Zenfone 2 é bem mais barato, mas os números de venda do Zenfone 2 Deluxe e Special Edition nos deixaram animados", explica Campos.

Segundo o executivo, a demanda pelo Deluxe, que saiu por R$ 1,999 e o Special Edition, que saiu por R$ 2,999, foi bem acima do esperado. Para o Special Edition, que teve tiragem limitada no país, a procura foi maior que a oferta.

Apesar da prioridade no segmento premium com o Zoom, a Asus anunciou outros smartphones da família Zen, como uma versão do Zenfone 2 Laser (R$ 1,499) com tela de seis polegadas, assim como o Zenfone Live (preço não divulgado), aparelho especial para quem usa o celular para ver televisão digital.