Programa Garagem Criativa Coworking terá atividades no Tecna. Foto: Bruno Todeschini/ASCOM-PUCRS.

A Incubadora Raiar da PUCRS, em parceria com o Tecna (Centro Tecnológico Audiovisual do RS), acaba de lançar uma oportunidade para empresários da indústria criativa. Trata-se do programa Garagem Criativa Coworking, que oferece um espaço personalizado e rotina de trabalho voltada ao desenvolvimento dos negócios das empresas.

Segundo a PUCRS, as atividades do programa foram formuladas para aprimorar os perfis empreendedores dos participantes, assim como aperfeiçoar suas noções de cooperação e inovação, por meio de tutoriais, dinâmicas de trabalho, além da possibilidade de uso dos equipamentos disponíveis na pré-incubadora criativa, no Tecnopuc Viamão. 

O programa é gratuito e tem duração de 16 semanas, com dois encontros semanais.

Após a conclusão da primeira edição do programa Garagem Criativa, que desenvolveu negócios criativos junto a empreendedores do RS, a Incubadora Raiar e o Tecna apostam agora nas empresas.

"Essas iniciativas são algumas das primeiras ações que movimentam o ecossistema do Tecna, que está em fase de implantação no Tecnopuc Viamão. Queremos contribuir para o aperfeiçoamento dos nossos projetos/negócios e para o fortalecimento de uma rede colaborativa", comenta Aletéia Selonk, coordenadora do Programa.

As inscrições para o Garagem Criativa Coworking podem ser efetuadas no site da raiar, até o dia 12 de agosto. Os projetos selecionados serão divulgados no dia 19.

O Tecna é um dos espaços pioneiros no foco em indústria criativa no Rio Grande do Sul. Articulada com o governo do estado e a Fundacine, o objetivo do espaço é ser cluster na área da indústria criativa, atendendo a setores como cinema, TV, jogos digitais, aplicativos, música e som. 

Com esse intuito, em julho do ano passado foi assinado um convênio que formalizou a implantação de um Centro de Produção e Pós-Produção de Conteúdos Digitais Criativos no Tecna. 

O acordo entre PUCRS, Feevale, Fapergs e Ministério das Comunicações destinou mais de R$ 7,5 milhões para compra de equipamentos para compor estúdios de cinema e televisão, de som e motion capture, além de laboratórios voltados a aplicativos, jogos digitais e animação.