VIAGENS

Pontes compara apagão no CNPq a pane de avião

29/07/2021 12:41

O ministro citou sua experiência de astronauta para tranquilizar a comunidade científica.

Marcos Pontes, ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações. Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil.

Tamanho da fonte: -A+A

Marcos Pontes, ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, comparou a situação no CNPq, que sofreu a queima de um servidor e está com suas plataformas paralisadas há sete dias, a uma pane de avião — citando sua experiência como astronauta.

“Obviamente vocês sabem que eu já passei por muitas situações difíceis, à noite, em voo, com instrumento a baixa altura, com avião monomotor. Dá para imaginar uma situação dessas e aí a gente aprende a resolver panes”, disse Pontes em um vídeo publicado em sua conta no Twitter.

Segundo o ministro, a situação relatada “é o que está acontecendo agora. Está sendo resolvida essa pane e não vai ter nenhuma implicação”, comparou o astronauta.

Evaldo Vilela, presidente do CNPq, também participou do vídeo e preferiu falar mais especificamente do que interessa: a integridade dos dados. 

“Nós estamos recuperando dados. Com relação ao Lattes, já está recuperado, nós temos backup. E, com relação ao pagamento de bolsistas, está tranquilo”, afirmou Vilela. Segundo o presidente, os repasses são realizados através de outra plataforma, que não foi atingida.

No final do vídeo, o ministro ainda acrescentou que o problema vai servir para melhorar o sistema.

“Agora a gente vai observando o que aconteceu para fazer a análise desse incidente e melhorar o sistema. Então, no final das contas, o sistema vai ficar melhor do que já estava”, afirmou Pontes.

Já em seu Instagram, o astronauta comparou o apagão a um problema automotivo: “é como furar um pneu, não dá para prever, simplesmente acontece. Não há sistema infalível. Pessoal vai morrer por causa disso? Não”.

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) sofre um apagão nas plataformas Lattes e Carlos Chagas, principais sistemas federais da pesquisa brasileira, desde a última sexta-feira, 23.

De acordo com a Folha de São Paulo, o problema impacta processos rotineiros relacionados ao fomento à pesquisa, como pagamento, renovações de bolsas e prestações de contas, além da  impossibilidade de acesso a editais, como o de bolsas de produtividade em pesquisa.

A única plataforma do órgão em operação seria o site, que é hospedado no servidor central do Governo Federal.

A plataforma Lattes é um banco de dados com todos os currículos de pesquisadores e ações como a aprovação de bolsas dependem da consulta ao sistema. Já pela plataforma Carlos Chagas, se operacionalizam chamadas públicas e editais de fomento à pesquisa, gestão e pagamento de bolsas.

Ligado ao Ministério da Ciência e Tecnologia, o CNPq financia cerca de 84 mil pesquisadores.

Além disso, outros órgãos como a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e agências de fomento ligadas a governos estaduais também realizam operações com auxílio da plataforma Lattes.

Veja também

SEGURANÇA
SUS: Kid Bengala vira pai de Guilherme Boulos

Ministério da Saúde admite que a alteração foi feita por usuário credenciado do sistema.

ALMOÇO
Vem aí o fim do vale refeição?

Governo estuda acabar com o abatimento dos vales no imposto das empresas.

LICITAÇÕES
Governo aperta Oracle em 32%

Brasília segue espremendo grandes fornecedores de TI para descontar preços. Oracle é o maior até agora. 

ENERGIA
Brasil poderá ter apagão ainda em 2021

Estimativa é do Centro Brasileiro de Infraestrutura com dados do ONS.

TÁ OK?
Governo atrasa venda da Serpro e Dataprev

Ficou para o meio da campanha eleitoral de 2022. Vai sair? Parece que não.

REPRESENTANTES
Tecnologia ganha mais voz em Brasília

Entidades do segmento entraram em um comitê do Ministério de Ciência e Tecnologia.