Carlos Moisés, governador de Santa Catarina. Foto: Mauricio Vieira.

O Governo Estadual de Santa Catarina prorrogou as restrições ao convívio social no estado por mais sete dias a partir de quarta-feira, 1º de abril.

Na última quinta-feira, 26, o estado havia anunciado a retomada gradual das atividades econômicas, mas voltou atrás. 

Com a decisão, o comércio deve permanecer fechado, exceto as atividades consideradas essenciais.

Segundo o governo, a mudança no discurso é para atender às recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) para a prevenção ao contágio por coronavírus. 

"Vidas não têm preço. A economia e os empregos nós poderemos recuperar, mas as vidas não. O momento é de ficar em casa’, ressaltou Carlos Moisés, governador do estado de Santa Catarina. 

De acordo com o governo, a intenção seria dar mais tempo para que o SUS se prepare em termos de estrutura e profissionais de saúde.

“Vamos seguir as recomendações das autoridades de saúde, inclusive do ministro Luiz Henrique Mandetta, que ontem atestou que a melhor forma de manter o controle do coronavírus é o isolamento social", afirmou Moisés no último domingo, 29.

O estado de Santa Catarina tem 197 casos confirmados de Covid-19 e uma morte.

Outros três estados emitiram decretos autorizando o funcionamento do comércio, como é o caso do Mato Grosso, que liberou a circulação do transporte coletivo e manteve o isolamento apenas para grupos de risco.

Em Roraima, último estado brasileiro a ser atingido pelo coronavírus, o governo liberou que o comércio funcione com entregas e drive thru, além de anunciar aulas a distância na rede pública.

Já em Rondônia, uma lista com 24 tipos de estabelecimentos tiveram o funcionamento liberado na última semana, entre eles açougues, lotéricas, pet shops, indústrias e restaurantes às margens de rodovias.