Edenize Maron.

Tamanho da fonte: -A+A

A Rimini Street, especializada em manutenção terceirizada de software Oracle e SAP, incluiu no seu porfólio o banco de dados em memória SAP Hana, a grande aposta tecnológica da multinacional alemã nos últimos anos.

Com isso, a companhia poderá atender usuários dos softwares de gestão, BI e data warehouse da multinacional alemã que rodam essas aplicações no Hana. 

A extensão, no entanto, não suporta os módulos do ERP desenvolvidos para rodar exclusivamente no Hana, a geração S/4 da tecnologia da SAP.

“Rodar as soluções da geração ECC no Hana é um passo importante técnicamente para os clientes.  Haverá bastante clientes nessa situação”, aponta Edenize Maron, gerente-geral da Rimini Street para a América Latina. 

Os números da SAP sustentam a tese de Edenize. Durante o último Sapphire, evento mundial da companhia nos Estados Unidos, a empresa revelou que 300 organizações estavam em alguma fase de implantação da tecnologia S/4 no Brasil.

É um avanço frente aos 100 registrados em março, mas pouco frente ao universo de 3,2 mil clientes no Brasil (é verdade também que uma minoria desses clientes podem vir se interessar pelo S/4, um produto para a parte de cima da pirâmide).

De qualquer maneira, o suporte ao Hana mostra que a Rimini é capaz de seguir de perto o roadmap da SAP.

De acordo com dados mundiais da companhia, a linha de negócios SAP cresceu 30% nos 12 meses até março. São 200 clientes em 75 países diferentes. A economia média nos custos de suporte ficaria na faixa dos 50%.

A Rimini não abre detalhes sobre a base de clientes no Brasil, mas ela tem crescido. A companhia chegou ao país em 2013, para atender um contrato fechado pela matriz com a Embraer, o maior cliente no país.

Edenize foi contratada em agosto do ano passado e está no momento executando um planejamento estratégico de quatro anos. A empresa vem fechando contratos com clientes de porte como Positivo, Infoglobo e Grupo Rodobens.

“Já existe a pressão sobre os CIOs por destinarem orçamento a inovação enquanto mantinham a TI rodando. Agora com o momento econômico complicado, nossa alternativa se torna ainda mais atrativa”, resume Edenize.