CRIPTOMOEDAS

Méliuz compra Alter por R$ 25,9 milhões

30/07/2021 10:20

Fintech é o primeiro exit da Captable e teve uma valorização de 73% em nove meses.

O banco digital armazena reais e criptomoedas. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Méliuz, brasileira voltada para ofertas, serviços, cupons de desconto e campanhas de cashback, anunciou a aquisição do Alter, banco digital que armazena reais e criptomoedas, por cerca de R$ 25,9 milhões. 

Criado em 2018, o Alter nasceu com a proposta de possibilitar a utilização de criptomoedas no dia a dia, reunindo em sua plataforma o sistema financeiro tradicional e a nascente criptoeconomia. 

Entre os serviços oferecidos pela fintech, estão conta digital gratuita, carteira de bitcoins e outras criptomoedas, cartão de crédito pré-pago Visa Internacional, cashback com bitcoins, compra e venda de bitcoins e transferências com o Pix.

De acordo com o site Brazil Journal, o Alter tem 110 mil clientes e faturou cerca de R$ 3,1 milhões nos últimos 12 meses. No primeiro semestre deste ano, o banco digital movimentou R$ 184 milhões em negociações de criptos.

Em outubro de 2020, a empresa realizou uma rodada de captação com a CapTable, plataforma de crowdfunding especializada em investimentos em startups, onde recebeu R$ 2,1 milhões de 768 investidores e foi avaliada em R$ 15 milhões.

A startup é o primeiro exit da plataforma e, na venda, teve mais de 73% de valorização desde a rodada realizada nove meses atrás.

"Esta operação reforça a credibilidade do investimento on-line em startups, afinal, temos uma empresa listada na Bolsa de Valores adquirindo uma startup que há menos de um ano estava recebendo investimentos conosco”, destaca Guilherme Enck, cofundador da CapTable.

A Méliuz disse que vai lançar seu banco digital em janeiro de 2022 e, provavelmente, o Alter será acoplado a esse ecossistema, ampliando a oferta de produtos financeiros da empresa com criptomoedas.

Com o mesmo foco, a companhia já havia pago R$ 324 milhões pelo Acesso Bank, que é dono de um banco digital e de um negócio de banking as a service.

Thales Henrique do Couto Marques e Vinicius Frias, fundadores do Alter, vão continuar como executivos da Méliuz.

Fundada em 2011, a mineira Méliuz disponibiliza em sua plataforma cupons de desconto de lojas on-line e devolve ao consumidor, em dinheiro, parte do valor gasto em compras direto na conta bancária. 

Listada na B3, a plataforma conta com mais de 3 mil lojas parceiras e já devolveu mais de R$ 94 milhões aos clientes. A base de consumidores cadastrados no programa é de 2 milhões.

A gaúcha CapTable foi fundada em 2019 e tem como sócia a Startse, companhia de destaque na cena de startups do país que já tinha uma base de 9 mil empresas cadastradas. 

Desde a sua criação, mais de 4 mil investidores utilizaram a plataforma para aportar mais de R$ 36 milhões em startups como Alterbank, Livima, Umbler, Skydrones e InovaPictor. Até o final deste ano, o plano da empresa é captar R$ 100 milhões para 40 companhias.

Veja também

AQUISIÇÃO
Unico compra CredDefense

A empresa paulista é especializada em soluções antifraude por meio de biometria facial.

AUTO
Kavak chega ao Brasil com investimento de US$ 500 mi

A mexicana é especializada na compra e venda de carros usados e terá no país sua maior operação.

PLANTÃO
Globo vende data center no Rio

Comprador é a Elea Digital, que já tinha levado no ano passado os DCs da Oi.

CONTRATAÇÃO
Nuvini anuncia novo CFO

Aury Ronan Francisco irá preparar a área financeira da empresa para crescimento exponencial nos próximos três anos e obtenção de IPO.

FOCO
Neo: VP foca em digital

Companhia se mexe para ser vista como mais do que um player de BPO.

FINTECHS
Paschoal, ex-PayPal, vai para o Google Pay

A executiva assumiu como managing director da plataforma no Brasil.