O Whitebox, equipamento que fará a coleta dos dados da internet fixa. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A partir de novembro, a Anatel passará a medir a velocidade da internet fixa, utilizando a ajuda dos próprios usuários: 12 mil voluntários em todo o país serão selecionados para o programa Brasil Banda Larga.

As incríções começaram na quarta-feira, 29, pelo site do projeto.

Os voluntários sorteados receberão uma espécie de modem, chamado de whitebox, que enviará os dados da conexão para uma entidade aferidora, ainda não divulgada pela Anatel.

Na tarde desta quinta, 30, a Anatel divulgou em seu site que cerca de 11 mil pessoas já se cadastraram no programa.

Segundo a agência reguladora, o equipamento não interfere na conexão nem coleta dados de navegação do usuário.

A medição atende a uma determinação do regulamento de qualidade para o serviço de comunicação multimídia, aprovado pela Anatel no ano passado.

Segundo as regras, que valem a partir de outubro, as operadoras com mais de 50 mil usuários deverão entregar, em média, por mês, uma velocidade mínima de conexão de 60% da velocidade anunciada.

Esses percentuais deverão aumentar a cada ano, até chegar, em 2014, à média mensal de 80% da velocidade contratada.

Atualmente, a velocidade média entregue aos usuários fica em torno de 10% da contratada pelos consumidores. Para a velocidade instantânea, os índices começam em 20%, depois passa para 30% e 40%.

Os dados coletados pela Entidade Aferidora de Qualidade (EAQ) serão divulgados mensalmente pela Anatel, e servirão para que a agência avalie se as empresas estão cumprindo as metas de qualidade estabelecidas.

Segundo o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, a medição vai melhorar a concorrência no setor, fazendo com que os usuários procurem as empresas com melhores resultados.

Ele prevê que a competição entre as empresas vai aumentar, uma vez que as companhias serão avaliadas em um ranking, que será divulgado a partir de dezembro.

Segundo Bernardo, quem não cumprir as determinações vai passar vexame.

"Os resultados serão divulgados mensalmente, então vai aparecer que tal empresa oferece velocidades que não são condizentes”, disse o ministro.