Eduardo Gallo. Foto: divulgação

A Service IT Solutions, empresa nascida em Porto Alegre que hoje tem bases na capital gaúcha, em São Paulo, Curitiba, Rio de Janeiro e Buenos Aires, anuncia investidas fortes para manter a linha de crescimento que a levou de um faturamento de R$ 35 milhões em 2011 a R$ 56 milhões no ano passado e meta de chegar aos R$ 70 milhões este ano.

Um dos investimentos recentes é a compra de um Exadata, appliance de computação em memória da Oracle no qual foram gastos cerca de R$ 500 mil, a partir do que a companhia começa a prestar suas próprias provas de conceito.

Para isso, a clientela já está formada: a Service IT é o principal parceiro da Oracle em Exadata no país, com 11 hardwares vendidos no ano fiscal 2013 do fabricante (encerrado em junho passado).

Já nas demais soluções da parceira norte-americana com que trabalha, a empresa vendeu R$ 50 milhões em 2012, com meta de dobrar o valor até dezembro deste ano, o que está perto de ocorrer, já que em maio já havia batido na casa dos R$ 80 milhões, conta o diretor Comercial, Eduardo Gallo.

Outro investimento na estratégia da companhia é a inauguração de um NOC, em São Paulo, com aporte também em torno de R$ 500 mil, de onde irá monitorar todos os contratos de managed services, que hoje somam em torno de 40.

“Poderemos monitorar a infraestrutura dos clientes, aberturas de chamados, SLAs, tudo”, comenta Gallo.

Quando o NOC estiver operante, o que deve ocorrer até o fim deste ano, o plano partirá para integrar o Exadata a esta estrutura, iniciando oferta de IaaS.

Integração no front de ataque, uma tática que a Service já conhece bem.

Além de Oracle, a empresa é especializada em IBM, EMC, VMware, Riverbed e Red Hat, e apesar de ter criado divisões de negócio para cada área, com equipes e gerentes dedicados, clientes que demandem trabalho integrado entre as soluções são bem vindos.

“Há poucas integradoras no país com o porte que temos, e nenhuma delas é genuinamente nacional”, afirma Gallo, referindo-se a nomes como Sonda IT, Promon Logicalis e CPM Capgemini.

Segundo o executivo, a meta é ser o maior canal no país de cada fabricante com que trabalha, e se isso já ocorre com Oracle, pode estar bem perto de acontecer com os demais: em EMC, as vendas da Service IT somaram R$ 18 milhões no que vai de ano, devendo fechar em R$ 25 milhões, e em IBM, somaram R$ 42 milhões em 2012 e têm projeção de somar R$ 50 milhões até dezembro.

Para dar conta da estrutura, a empresa passa por outras novidades, como a troca de distribuidor da gaúcha Ação Informática, com quem trabalhou por 18 anos, para a multinacional Avnet.

“Trata-se do maior distribuidor IBM no mundo, com vendas de US$ 4 bilhões ao ano”, comenta Gallo.

Para o futuro, a integradora promete seguir anunciando novidades, entre as quais estão previstas aberturas de operações em Brasília e no Chile.

Com cerca de 250 colaboradores, dos quais 25 ficam no escritório argentino, a Service IT atende a clientes como AES, CPFL, Banrisul, Sascar, TRT-RS, TJ-RS e MP-RS.