Gustavo Marques Dias. Foto: divulgação.

A Rede Cigam, fornecedora de software de gestão empresarial (ERP) estabeleceu um acordo com as startups paulistas Cappta e Stone para reforçar sua integração com transações financeiras e de pagamentos eletrônicos.

Ao unir forças com a Cappta, de Jundiaí, a Cigam integrará às suas soluções funcionalidades de captura de pagamentos e transações eletrônicas de diferentes bandeiras e modalidades de adquirência.

Já com a paulista Stone, o plano é agregar recursos de volume de processamento e autorização das operações de cartão de crédito.

Além disso, o sistema da Cigam é homologado por ambas as plataformas. Segundo a desenvolvedora, isso traz redução de custos aos empresários, que podem ter taxas mais atraentes na instalação de novas operações de Transferência Eletrônica de Fundos (TEF) ou máquinas de ponto de serviço (POS).

A Cappta atende mais de 30 mil pontos de vendas e fornece uma solução de captura para que varejistas aceitem cartões de crédito, débito e benefícios. Já a Stone possui uma tecnologia própria capaz de suportar 10 mil transações por segundo em todo território nacional, tanto para operações físicas quanto virtuais.

De acordo com o diretor da Cigam Gestor, Gustavo Marques Dias, as parcerias visam aumentar os resultados dos clientes, principalmente do varejo, que estão ligados aos cartões de débito e crédito.

“As parcerias com as duas empresas surgiram da oportunidade de levar ao cliente Cigam taxas mais baixas de cartão Visa e MasterCard e ter um único sistema de pagamento. Desta forma, cumprirmos com uma de nossas diretrizes que é ajudar o varejo a ser mais rentável”, explica Dias.

Para a Cigam, o varejo e operações de cartão representam uma oportunidade com grande potencial. Segundo dados Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), somente no primeiro semestre de 2015, o volume de transações com cartões aumentou mais de 10%, movimentando mais de R$ 509 bilhões.

“No momento de crise que o varejo vive, o lojista precisa ter uma gestão cada vez melhor, com informações mais relevantes e que o direcione a tomar decisões corretas baseadas nas informações do seu negócio para conseguir aumentar as margens em função da baixa de venda que o mercado em média está tendo”, afirma Dias.

A movimentação da Cigam para aumentar sua força junto a empresas de varejo iniciou no ano passado, quando pagou R$ 8 milhões pela Gestor, empresa pelotense que desenvolve soluções para varejo de moda (vestuário, calçados, acessórios e cosméticos).

O software da Gestor é utilizado em mais de 800 lojas em todo o Brasil. Entre os clientes, estão marcas como Carmen Steffens, Monica Sanches, Lupo, Terrace e BeerCode.

A Rede Cigam encerrou o ano de 2014 com faturamento de R$ 53 milhões, uma expansão na casa dos 28% sobre o ano anterior e acima da meta de 22% inicialmente prevista par ao ano.