Hospital tem dez unidades. Foto: flickr.com/photos/hospital-albert-einstein.

Tamanho da fonte: -A+A

A Cerner Millennium, companhia norteamericana de software e serviços de tecnologia para o setor de saúde, iniciou sua atuação no Brasil com um acordo de R$ 180 milhões com o Hospital Albert Einstein. A solução irá automatizar uma série de processos na instituição.

No negócio, estão incluídos softwares para prontuário eletrônico, a digitalização de documentos, gestão de pacientes, de medicamentos, exames, administração de contas, entre outros.

A estimativa é de que tudo esteja implantado em 2015, conforme publicação do Valor.

Desde 2011, a empresa busca por negócios no país. Este é o primeiro, mas há a expectativa de finalizar outros acordos ainda neste ano, pois conversas estão sendo realizadas com prefeituras e hospitais privados.

A unidade brasileira está instalada em um escritório em São Paulo, com 35 colaboradores comandados por Luiz Gustavo Ladeira. O plano é contratar mais 65 funcionários em dois anos. 

A Cerner opera em 24 países, com 14 mil colaboradores. Entre hospitais, laboratórios e clínicas, cerca de 10 mil organizações usam seus softwares.

De janeiro a setembro de 2013, registrou uma receita de US$ 2.115 bilhões, 8,2% a mais do que o mesmo período do ano anterior. O lucro líquido aumentou 18,5%, atingindo US$ 338,3 milhões. A companhia tem ações negociadas na Nasdaq.

No Brasil, esse mercado cresce em média 14,8% ao ano, de acordo com a Frost & Sullivan. O setor movimentou US$ 541,4 milhões em 2013 e, até 2015, deve gerar US$ 713,9 milhões no país.

O Hospital Israelita Albert Einstein possui dez unidades na capital paulista. Ao todo, são cerca de dez mil funcionários, 6,3 mil médicos cadastrados.