O Togotoy foi modelado em 3D com a ferramenta Autodesk Fusion 360. Foto; Divulgação.

Os estudantes universitários Giulia Pereira (design gráfico) e Vitor Akamine (engenharia mecatrônica) projetaram um brinquedo que tem como objetivo integrar crianças com deficiência visual (baixa ou nenhuma visão) com crianças videntes. 

Batizado de Togotoy, o brinquedo foi modelado em 3D com a ferramenta Autodesk Fusion 360. Togo, em japonês, significa integração.

“O Autodesk Fusion 360 é fácil de manusear e é um software revolucionário, pois permite que a gente faça qualquer coisa. Além disso, o trabalho em nuvem facilitou muito o desenvolvimento do Togotoy, uma vez que a integração dos arquivos é muito mais fácil”, explica o Akamine.

A ideia do Togotoy surgiu durante a finalização de um projeto para uma disciplina do curso de design em que a tarefa proposta era desenvolver um brinquedo. Contudo, logo apareceu a questão de como torná-lo mais acessível para crianças com deficiências.

“Essa motivação impulsionou o início do projeto. Entretanto, nos deparamos com vários obstáculos em relação à produção do produto, já que não tínhamos nenhuma experiência prática em desenvolver algo inovador. A partir daí lançamos mão da modelagem e impressão 3D”, conta Giulia.

O Fusion 360, assim como todas as ferramentas da Autodesk, é acessível de forma gratuita para estudantes. 

“A Autodesk tem por objetivo que as pessoas usem suas ferramentas para criar qualquer coisa. Seja uma complexa construção de infraestrutura ou um brinquedo que conecte crianças. A nossa missão é ser um meio para tornar isso possível”, afirma Greg Eden, vice-presidente de marca e comunicação da Autodesk.

O Togotoy é composto por blocos modulares de formato retangular que se conectam por meio de encaixes simples e que, ao serem ligados entre si, formam uma torre hexagonal. 

Na superfície externa de cada bloco há três estímulos para as crianças: palavras escritas no alfabeto braille, suas transcrições no alfabeto usual, além do símbolo correspondente da palavra - os últimos dois em alto-relevo. 

Somado ao forte contraste de cores entre o fundo e elementos da peça, o brinquedo permite que tanto crianças com deficiência visual (total ou parcial) quanto videntes possam brincar juntas.   

O Togotoy está na sua quarta versão de protótipo. Os estudantes estão trabalhando em parceria com o setor de inovação da Fundação Dorina Nowill para aprimorar o brinquedo. Além disso, eles buscam parceria para produção em larga escala. O projeto já foi apresentado em diversos eventos no Brasil e exterior.