AÇÃO

Vivo e TIM mandam atendentes para casa

31/03/2020 16:17

Operadoras conseguem executar virada de 100% do atendimento para home office.

TIM e Vivo esvaziaram seus call centers por causa do coronavírus. Foto: Pexels.

Tamanho da fonte: -A+A

Vivo e TIM mandaram todos os atendentes que atuam nos seus call centers próprios para trabalhar em casa, numa medida de prevenção contra o coronavírus que atinge milhares de funcionários e não tem precedentes no país.

Das duas, o maior projeto é o da Vivo, que envolve também funcionários de call centers que prestam serviços para a operadora, totalizando 10 mil pessoas. 

A Vivo não disse quantos desses pertencem a cada grupo. Os funcionários diretos da empresa atuavam em Curitiba, Fortaleza, Maringá e São Paulo.

Já na TIM, a iniciativa atingiu 1,4 mil atendentes dos seus call centers próprios, situados no bairro de São Cristóvão, no Rio de Janeiro, e em Santo André, na região do ABC paulista.

Ambas operadoras não deram muitos detalhes do tipo de soluções que estão sendo usadas para viabilizar os projetos. Ambas deram equipamentos e conexão para os funcionários que não dispunham de computador em casa.

Segundo a TIM, a equipe de TI da companhia adaptou os sistemas do call center para uso remoto, permitindo acesso a todas as ferramentas necessárias, além de reforçar aspectos de segurança. A conexão está sendo feita usando a rede 4G da operadora.

A Vivo falou em supervisão do atendimento dos funcionários via “via chats, sistemas e aplicativos”, em um projeto com envolvimento das áreas de RH, Redes, TI e Infraestrutura.

“Trabalho há 12 anos em call center e nunca tinha visto uma movimentação tão inovadora acontecer. Adaptamos a rotina familiar e, em casa, estou conseguindo tratar a mesma quantidade de demandas e com a mesma qualidade”, conta Nilsa de Andrade, consultora do call center do Rio de Janeiro da TIM.

A Associação Brasileira de Telesserviços (ABT), que representa as maiores empresas de contact center do país, anunciou no começo da crise do coronavírus que seus integrantes procurariam adotar home office quando fosse possível. 

A preocupação tem precedentes. Na Coréia do Sul, um país que é apontado como um sucesso na gestão da crise do coronavírus, as autoridades relataram um novo pico de casos há duas semanas.

Ao todo, 242 novos contágios foram reportados pelo país asiático, 90 deles oriundos de apenas um call center, onde a doença eclodiu esta semana. 

Apesar da pressão, a adoção de uma prática de home office em larga escala para um call center com milhares de atendentes é uma operação complicada. 

Na última semana, se tornaram comuns comunicados de instituições de todas as áreas alertando para grandes tempos de espera nos seus atendimentos, na medida em que as equipes foram diminuídas para reduzir o risco de contágio.

A Algar Tech anunciou que iria mandar 50% de seus colaboradores de contact center para casa. Eles devem esperar em quando a companhia organiza uma migração para home office.

Para quem permanece nas instalações da empresa, estão sendo adotadas medidas preventivas como espaçamento entre as posições de trabalho e o revezamento com folgas remuneradas.

Mesmo em nível corporativo, a crise do coronavírus expôs o pouco preparo existente para adoção do trabalho em casa. 

Um estudo da consultoria de recursos humanos Robert Half com 240 profissionais mostrou que as empresas de 41% deles tiveram que improvisar políticas de home office na última hora.

Veja também

O QUE FAZER
Gartner: cinco passos para lidar com Covid-19.

Como garantir a continuidade de negócios durante a pandemia de coronavírus?

OPORTUNIDADE
Coronavírus faz venda de PC bombar na Europa

Home office faz as vendas de notebook cresceram 51% em março.

COVID-19
Rio de Janeiro terá aplicativo pós-diagnóstico

App deve monitorar o deslocamento dos pacientes e emitir certificado de circulação para os curados.

INDÚSTRIA
Weg vai fabricar respiradores artificiais

Em acordo com a Leistung Equipamentos, plano é produzir 500 unidades.

CRISE
Home office: 41% improvisou por causa do coronavírus

Robert Half mostra que empresas não tinham política de trabalho em casa.

OPORTUNIDADE
Totvs abre 1,6 mil vagas para treinamentos gratuitos

Os cursos terão início em abril e serão transmitidos ao vivo pela internet.

CORONAVÍRUS
Microsoft toma medidas para manter nuvem no ar

Consumo aumenta 8x, companhia impõe restrições para serviços seguirem rodando.

CORONAVÍRUS
Fenainfo pede retomada das atividades

Federação dos sindicatos de TI contra lockdown indefinido. Agora, como colocar isso em prática?

TRABALHO
Fábrica da Samsung em Campinas pode parar

Com medo do coronavírus e sem licença, funcionários ameaçam entrar em greve.

UNIÃO
TIM e C6 terão oferta conjunta

Fintech e operadora fazem um acordo inédito no mercado brasileiro.

CORRIDA
Bosch: diagnóstico do Covid-19 em 2,5 horas

Teste rápido, desenvolvido com a Randox, deve estar disponível na Alemanha em abril.

SOLUÇÃO
Gemelo pronta para fazer UTIs

Companhia de data center modular quer ser parte da resposta ao coronavírus.

SUPORTE
Nubank destina R$ 20 milhões para quarentena

Banco realocou verba de marketing para oferecer vouchers em serviços de saúde e delivery.