O lançamento oficial da forma de pagamento será feito no próximo dia 6 de abril. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

O Banco Senff, instituição autorizada pelo Banco Central em dezembro de 2020, adotou a solução da Payface, catarinense de pagamentos por reconhecimento facial, por meio da sua bandeira de cartão de crédito.

Segundo o banco, o setor de inovação do Grupo Senff, que já administra cartões há 20 anos, começou os estudos do projeto ainda no fim de 2019 — antes da pandemia, que tornou mais evidentes as vantagens desse tipo de solução.

“Atualmente, trata-se de uma necessidade que vem ao encontro da segurança que o consumidor e o lojista precisam. O processo todo é mais seguro e evita filas, já que toda a operação dura poucos segundos. Chega a ser nove vezes mais rápido do que a transação normal com cartão”, afirma Leopoldo de Paula Senff, presidente do Banco. 

Além disso, o executivo destaca a segurança do sistema, que considera impossível de ser fraudado.

Na prática, basta que o usuário do cartão Senff faça o cadastramento de imagens do seu rosto. O próprio sistema atualiza as imagens, na medida em que novas transações são feitas. 

“Não é necessário tocar em cartão, no celular ou em qualquer outro dispositivo ou mesmo ter contato humano, o que minimiza riscos sanitários”, destaca Daisy Moroz, gerente de inovação e de projetos estratégicos da Senff.

O lançamento oficial da forma de pagamento será feito pelo banco no próximo dia 6 de abril. Segundo a instituição, o investimento para o estabelecimento comercial será o mesmo que ele teria para usar uma maquininha de cartões.

Fundado em 1892, o Grupo Senff começou suas atividades como panificadora na capital paranaense. Em 1977, expandiu e passou a ser supermercado e, desde 2000, focou suas atividades na administração de cartões com bandeira própria. 

Em 2010, o Grupo fundou a Financeira Senff SA. Em dezembro do ano passado, a financeira recebeu autorização do Banco Central para se tornar banco.

Atualmente, a marca conta com cerca de 3 milhões de cartões em circulação, com mais de 5 mil varejistas emitindo a bandeira Senff. Entre eles, estão supermercados, redes de lojas de calçados, confecções e farmácias.

TECNOLOGIA EM ALTA

A Payface é uma startup de destaque no segmento de biometria facial, que está em alta no país.

A Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia em Identificação Digital (Abrid) previa que o mercado brasileiro para soluções de biometria em geral chegaria a R$ 1 bilhão até o final de 2020.

No ano passado, a empresa recebeu um aporte de R$ 3 milhões em rodada seed liderada pela empresa BRQ Digital Solutions, o fundo Next A&M e a aceleradora Darwin Startups.

Também participaram grupos apoiados pela Harvard Angels e Nikkey Empreendedores do Brasil (NEB), além de investidores individuais, como Conrado Engel, ex-presidente do HSBC no Brasil.

A Payface foi fundada em 2018, em Florianópolis, por Eládio Isoppo e Ricardo Fritsche, que já haviam empreendido antes em outras startups.

Em 2012, Isoppo participou da fundação da Aquarela, startup de Big Data, e, em 2014, criou o H2App, aplicativo para compra de galões de água sem sair de casa. Este último foi vendido para os acionistas de uma indústria de água mineral do sul do país. 

Já Fritsche havia cofundado a Meritt em 2009, edtech que tem o objetivo de usar a inteligência no uso de dados para melhorar o processo de ensino e aprendizado dos alunos.