Daniel Peralles.

Daniel Peralles, ex-diretor de produto e estratégia da Zup, uma companhia de desenvolvimento de software mineira, acaba de ser contratado como diretor de engenharia de produtos da Sage Brasil, operação brasileira da multinacional inglesa de software de gestão.

Peralles foi também gerente sênior na CI&T, CTO no Ifood e analista de sistemas na Motorola.

“Estamos atentos às transformações e inovações do mercado de tecnologia com o objetivo de facilitar o dia a dia dos nossos clientes no Brasil, propondo novas soluções e a melhoria das já existentes”, enfatiza Peralles.

Em nota, a Sage afirma que o novo contratado será responsável por liderar a modernização dos produtos da companhia para a tecnologia de nuvem.

A Sage é uma gigante, com 13 mil empregados e um faturamento de £ 1,85 bilhão no ano passado.

Provavelmente, os produtos que Peralles está assumindo são os softwares brasileiros adquiridos pela empresa nos últimos anos. 

A empresa entrou forte no Brasil em 2012, ao gastar nada menos do que R$ 398 milhões para comprar a Folhamatic e ganhar uma presença importante no mercado brasileiro.

Apesar da Sage não ter feito muito estardalhaço sobre o assunto no momento, foi o segundo maior negócio do mercado de ERP brasileiro, só atrás da compra da Datasul pela Totvs, em 2008, uma operação de R$ 700 milhões.

Depois, a Sage gastou algo próximo a R$ 50 milhões para adquirir as paranaenses Empresa Brasileira de Sistemas (EBS), sediada em Curitiba, e da Cenize Informática, de São José dos Pinhais.

Folhamatic, EBS e Cenize eram players tradicionais de sistemas de gestão para escritórios de contabilidade, um tipo de cliente que é usado pela Sage e outros concorrentes como uma porta de entrada em empresas pequenas atendidas por esses contadores. 

Nesse mercado, a Sage concorre no Brasil com startups como a ContaAzul e a Omiexperience, que já tem produtos nascidos na nuvem e investem pesado em interface de usuário.