Entrega de informação é o negócio da iNews. Foto: Shutterstock

Tamanho da fonte: -A+A

A iNews, uma empresa gaúcha especializada em clipagem de notícias (a coleta de informações na internet, de acordo com os interesses dos clientes) decidiu começar a franquear sua tecnologia para que prestadores de serviço com o lançamento do iNews Delivery.

Hoje, o maior entre os 70 clientes da iNews é a Licitacao.net, mas no passado a empresa já atendeu organizações como Gerdau, Embraer, TAM e Bradesco, entre outras. Neste ano, lançou a oferta de franqueamento.

Os custos para ser um franqueado e ter acesso aos resultados das buscas de notícias da iNews no pacote mais econômico é uma  taxa de franquia de R$ 10,8 mil, mais uma taxa de operação de R$ 580 mensais. 

O franqueado fica com 35% do valor das assinaturas dos seus clientes. Até agora, dois franqueados aderiram. Um deles já teria alcançado uma renda mensal de R$ 5 mil.

“Há um grande campo a ser explorado nesta área, pois todo mundo precisa de informação e ela vale muito quando é personalizada”, explica o franqueado Carlos Alberto Armani. 

Vocês devem estar se perguntando qual é a diferença entre o serviço da iNews e o Google Alerts. De acordo com a empresa, o software da companhia busca 10 mil notícias por dia e tem o diferencial de fazer a entrega em tempo real.

“Como o formato é de receita recorrente com escalabilidade, ou seja é quase uma progressão aritmética, dependendo muito do trabalho do franqueado e seguindo nosso plano de negócios, o retorno do investimento vem antes de 18 meses”, explica Eduardo de Carvalho da Silva, diretor de expansão da Inews Delivery.

Até pouco tempo atrás Silva era, ele mesmo, um franqueado de um serviço semelhante, oferecido pela Herald Inteligência Corporativa. O outro sócio da empresa é Márcio Poy, que já teve a Emark, uma companhia de e-mail marketing e a Fox, especializada em geração de leads.

A meta da companhia é que em dois anos os franqueados realizem a maior parte das assinaturas e a matriz cuide de apenas de alguns clientes estratégicos.