Luiz Ortiz, CIO da Orizon. Foto: divulgação.

A Orizon, startup que oferece inteligência médica e analytics para o setor da saúde suplementar, adotou a solução da MicroStrategy, especializada em análise de dados e softwares de mobilidade, para agilizar o acesso a informações relevantes.

Segundo a empresa, um dos seus maiores desafios era extrair informações relevantes dos milhões de dados armazenados em um banco que contém todas as transações — envolvendo 31 operadoras de planos que englobam 13 milhões de clientes (25% dos segurados privados no país) e, na outra ponta, 140 mil prestadores de serviço e 12 mil farmácias.

Os participantes geram um grande volume de informações, a partir da autorização de mais de 500 mil procedimentos diários, com 150 milhões de transações por ano.

Anteriormente, o sistema da Orizon era acessado por meio de um banco de dados interno e todos as informações eram baixadas no Excel, o que, segundo Luiz Ortiz, CIO da empresa, tinha lá suas limitações, sendo uma delas o limite de um milhão de linhas por planilha.

A planilha era processada pelos usuários de TI em diferentes formas e documentos para que fosse possível fazer a extração dos dados.

Desta maneira, chegar a um dado relevante levava pelo menos 15 dias. Agora, com a solução chamada HyperIntelligence, é possível acessar dados de informações coletadas durante mais de 10 anos de trabalho em menos de cinco minutos.

Além disso, os usuários podem receber os dados antes mesmo de solicitá-los, pois ela mostra, automaticamente e sem a necessidade de cliques pelo usuário, informações essenciais em formato de cartões na própria tela do aplicativo.

As informações são consolidadas em cards, que aparecem intuitivamente nas aplicações usadas no dia a dia, como o G Suite, do Google, Microsoft Office 365, além de outros sistemas como Salesforce, Workday, Atlassian e aplicativos de celular.

“Nesse contexto é que a tecnologia da MicroStrategy se torna relevante para o nosso negócio. Conseguimos acessar dados com ‘zero clique’. Isso representa um avanço que marca o antes e depois do sucesso na Orizon”, afirma Luiz Ortiz, CIO da empresa.

O executivo foi convidado de um webinar da MicroStrategy na semana passada, com mediação do editor do Baguete, Maurício Renner.

Segundo Ortiz, a falta de dados de qualidade no setor de saúde sempre foi um desafio a ser superado e a automação da informação gerou um salto qualitativo.

Anteriormente, apenas 5% dos dados eram qualificados automaticamente e agora, o índice subiu para 85%, podendo compor mais rapidamente um data lake com dados utilizáveis, de forma anonimizada e com total segurança, de acordo com a companhia.

“A inovação digital é fundamental para empresas como a Orizon transformarem os seus negócios e capacitar funcionários com insights rápidos e personalizados para melhorar a experiência de trabalho e para a empresa ser mais produtiva e alcançar um melhor desempenho”, afirma Celso Oliveira, diretor geral da MicroStrategy Brasil.

Fundada em 2007, a Orizon utiliza inteligência Artificial, analytics e big data para agilizar a troca de informações entre planos de saúde e prestadores de serviço médico, buscando apoiar a tomada de decisão, identificar desvios e eliminar desperdícios no setor de saúde.