É Brazil com "Z" mesmo, este país que se tornou o paraíso da "BURROCRACIA".

A Revista Exame na sua edição de número 825 (de 1º/09/2004), traz como matéria de capa "O ATAQUE DO BUROCRASSAURO", um monstro que não foi criado por nós, mas que tem sido muito bem "tratado" e "alimentado" pelos nossos governantes, o que nos colocou em "invejável" posição no cenário internacional.

O Brasil se coloca em termos de comparação ao lado de, nada mais, nada menos que o Haiti, Laos, Congo, Chade e Moçambique.

Para um país que já teve um Ministério da Desburocratização, isto é vexatório, uma gigantesca vergonha, algo que não se pode admitir.

Para se ter uma idéia levamos em média 152 dias para abrir um negócio e para encerrar, vamos mais longe, leva-se, em média, 10 anos, isto mesmo, 10 anos.

No que tange a velocidade da justiça, também estamos na frente, conseguimos a façanha de sermos uma das mais lentas do mundo fazendo que uma simples disputa comercial leve em média 566 dias para ser resolvida.

E por aí vai este monstro que assola e devora nossas entranhas, prejudicando em muito nosso desenvolvimento.

Mas fiquei ainda mais assustado, prá não dizer apavorado, quando Marcelo Lu, analista do BIRD declarou que nosso PIB (Produto Interno Bruto) poderia ter um acréscimo de 2,2 pontos percentuais de crescimento, um número enorme se somados à previsão do mercado entre 4,7 a 5,2 pontos isto poderia chegar a ser entre 6,9 e 7,4 por cento de crescimento ao ano, uma verdadeira "maravilha".

Marcelo Lu declarou: "Se o Brasil diminuísse, por exemplo, os dias para a abertura de um negócio, como fez o Chile, já haveria um aumento adicional de 0,45 ponto percentual na taxa de crescimento do país".

Como já escrevi, no Brasil levamos em média 152 dias para abrir um negócio, já no Chile são apenas 28.

De acordo com este relatório elaborado pelo BIRD, a Colômbia e a Eslováquia foram os países que mais implementaram reformas no sentido de incentivar o aumento de investimentos em 2004, estes dois países criaram ferramentas eletrônicas para a criação de novas empresas, diminuíram em semanas as demoras administrativas, melhoraram os centros de informação de crédito e aumentaram a flexibilidade de suas leis trabalhistas.

Além de toda a ação deste monstro burocrático que devora a economia nacional, temos que resolver questões regionais. O relatório cita, por exemplo, que em Salvador na Bahia, se consegue um alvará em 10 dias, já em São Paulo, Capital, isto pode chegar a 120 dias.

O que tenho observado nos últimos anos é que impera a "Ditadura da Burocracia", que atinge não só a área privada, mas como também, e de maneira mais contundente a área pública.

É muito, mas muito difícil mesmo, "tocar" a máquina pública nacional. Ela está engessada, algemada, acorrentada dentro de legislações e regras que precisam e devem ser alteradas.

O governo está tomando algumas mediadas para alterar este quadro, mas ainda são poucas e muito tímidas.

Temos que botar o pé no acelerador destas reformas, "desburrocratizar" já este país e o quanto antes, sob pena de logo logo ficarmos isolados nesta "liderança".

Ou matamos esta fera ou ela acaba com a gente!