Tamanho da fonte: -A+A

Interação baseada em toque, aplicações online, melhoria da apresentação gráfica e impressão 3D.

Tecnologias como estas, que transformaram o iPhone, Gmail e os videogames em sucesso, devem chegar em breve ao mundo dos pesados softwares de CAD.

É o que acredita Jon Hirschtick, um dos fundadores da SolidWorks, responsável durante diversos anos pela evolução dos softwares da empresa e uma das principais atrações do SolidWorks World 2009, onde falou nesta terça-feira, 10.

Tido como uma das maiores autoridades mundiais em CAD, Hirschtick enfatizou que não cuida mais diretamente da evolução do produto e que suas previsões não refletem necessariamente a evolução do SolidWorks.

No entanto, o especialista é uma voz influente na companhia, como prova o fato da SolidWorks já ter protótipos em diferentes estágios em todas as áreas apontadas como tendência.

Talvez a inovação mais importante dentro do modelo de negócios da empresa seja começar a oferecer software pela Internet, dentro da tendência do SaaS.

“Isso livraria vocês da diversão dos upgrades, das licenças e dos backups, mas compensaria mesmo assim”, brincou um bem humorado Hirschtick, em sua primeira palestra no encontro depois de anos.

A SolidWorks já oferece um aplicativo online, o BluePrint Now, mas ele é limitado a gráficos 2D. Já o mundo das três dimensões, no entanto, é bastante mais complicado. “Teremos CAD 3D algum dia? Não sei”, admitiu o executivo.

Na área de interação por toque as coisas estão mais incipientes. A SolidWorks trabalha em um protótipo baseado no Surface, da Microsoft, que permite realizar alguns desenhos básicos sobre a superfície do computador usando somente os dedos.

“De certa forma, CAD voltará a ser também um negócio de hardware”, comentou Hirschtick.

O uso de gráficos com qualidade de videogame já é uma realidade nos produtos da empresa. De acordo com  Hirschtick, o próximo passo é usar o hardware dos games.

Bem mais popular na área de engenharia, a impressão 3D poderia parecer fora de lugar numa apresentação de novas tendências.

De acordo com  Hirschtick, não é o caso. “O que se fazia antes como impressão 3D evoluiu muito em termos de realismo e simulação de materiais”, apontou.

Maurício Renner cobre a SolidWorks 2009 em Orlando, EUA, a convite da DS Solidworks, utilizando um mini note HP 2133 cedido pela HervalTech.