Tamanho da fonte: -A+A

 

Segundo a Associação Brasileira das Empresas de Software (ABES) e Entertainment Software Association (ESA), no mês de janeiro foram capturadas 222,5 mil mídias irregulares, salto de 137% em comparação com janeiro de 2010. Foram realizadas 71 operações no território nacional, valor 39% acima ao registrado no mesmo período do ano anterior. 
 
Nesse contexto, o estado do Rio de Janeiro foi a região a registrar o maior saldo de mídias capturadas, o equivalente a 170 mil CDs. No final do mês a Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Propriedade Imaterial realizou a maior operação de combate à pirataria já feita no país.
 
Batizada de “Ilegal nunca mais”, a iniciativa aconteceu no Camelódromo da Rua Uruguaiana, principal pólo de comércio informal do Rio de Janeiro. Resultado de sete meses de investigação, a ação demandou a participação de 220 pessoas, entre policiais, fiscais da Receita e oficiais de Justiça.
 
Fechando os esforços feitos no período, as associações divulgaram ainda o resultado das ações realizadas na Internet. Ao todo foram retirados do ar 32 sites dedicados à venda de softwares falsificados, além de 2,1 mil anúncios destinados a mesma finalidade, valores 39% e 50% maiores que os registrados no mesmo período de 2010, respectivamente.
 
“Todas essas iniciativas, em conjunto, derrubaram o índice de pirataria em 8% nos últimos cinco anos. Nossa meta para 2011 é dar continuidade a essa tendência e fechar ainda mais o cerco contra essa prática que prejudica não só a economia nacional, mas toda a população”, enfatiza Antônio Eduardo Mendes da Silva, coordenador do Grupo de Defesa da Propriedade Intelectual da ABES.